2006-12-01

A Australia não tem petistas, mas...

Apesar de existirem diversos tipos de esquerdistas na Australia, a versão aperfeiçoada do clepto-stalinismo socio-discriminante e analfabeto que o petismo representa não é encontrada por aqui. As pessoas tem uma certa simpatia pelos esquerdistas mas no fim votam em quem tem as melhores propostas para fazer a economia melhorar.

Na verdade, o fato de os pobres daqui serem ricos para padrões brasileiros faz com que os interesses deles estejam alinhados com os de seus patrões. No Brasil versão petista, a diferença entre pobres e ricos é uma dádiva dos deuses, que é alimentada por pitadas de ódio classista, para manter a chama acesa. Se essa chama se apagar, adeus petismo. Entendo o Lula, passando a mão na cabeça dos bandidos do PCC. Eles são a sua força.

Bom, aqui não tem petistas, mas encontrei um interessante artigo descrevendo um "grupo de pessoas" com comportamento similar (clique aqui para ler).

Este é o depoimento de um policial que ficou completamente estupefacto ao encontrar o seu primeiro criminoso muçulmano. Ele descreve com requintes as artimanhas de esconder drogas nas fraldas dos bebês, nas vestes das mulheres e de gritar "Preconceito!" cada vez que uma mulher tinha que ser revistada. Mais ainda, ele descreve como a polícia é fraca contra este tipo de criminoso, temendo sempre ser acusada de discriminação. "Multiculturalismo" é a palavra de ordem e é forçada aos impotentes policiais. Dizem-lhes que há que compreender esta gente, pois eles vêm de um lugar onde não se pode confiar na polícia. Enquanto isso, a polícia está de mãos atadas para punir estas pessoas, apesar de receberem pedradas quando fazem a ronda nos seus bairros. As atividades criminosas das gangues muçulmanas são as que estão crescendo mais depressa.

Vale a pena ler a narrativa deste policial aposentado. Ele percebeu que, na verdade, este tipo de criminoso é o mais covarde e é o primeiro que "amarela" quando tratado com firmeza.

Veio à minha mente um pensamento. O que você diria de alguém que, mesmo eleito presidente, continua gritando "Preconceito! Preconceito!" cada vez que é pego em atitude suspeita?

3 comentários:

fabricio lima disse...

ninguem merece

Orlando Tambosi disse...

Zappi,

O Neanderthal está entre nós. E é bicho de partido.

Zappi disse...

É Tambosi, eles se organizam, se infiltram nas instituições para corrompê-las por dentro, e sempre gritam "Preconceito! Discriminação!"

Eu acho que o preconceito é conseqüencia e não causa dos problemas. Se o preconceito em si é criminalizado, as possibilidades de manipulação aumentam muitíssimo. Há que atacar as causas de preconceito e não o preconceito em si.

É o que acho.