2006-12-29

Lula é o dono

Fazia tempo que eu não abria os jornais da Banânia. O chato é encontrar isso que o Estadão humilde e timidamente chama de "duplo sentido" em faixas na cidadeca chamada Brasília.

Duplo sentido nada. O Lula é o dono do Brasil e de todos os pobres que lá vivem. E eu falo de todos os tipos de pobreza, principalmente a pobreza mental. Essa é bem abundante na Banânia.

Vamos todos orar, pedir a Deus que dê sabedoria ao dono do Brasil. Vocês não ficam com vergonha não?

2006-12-25

Religião - porque não - 2

Assistam à palestra de Sam Harris, que começa aos 9 minutos e 20 segundos do vídeo abaixo. Ele explica claramente porque a moralidade atual não pode ser baseada em nenhuma religião assim como lança pontos que religiosos considerariam extremamente ofensivos. Em certo momento ele diz que um embrião de 3 dias é um aglomerado de 120 células e que o cérebro de uma mosca tem 100.000 células. Ele diz que se estamos preocupados com sofrimento neste universo, deveriamos estar mais preocupados com o sofrimento de uma mosca que com o sofrimento do embrião que nem um sistema nervoso possui. Provocante e genial! Vejam:



Religião - porque não

Há uma diferença fundamental na maneira de ver o mundo entre a religião e a ciência. A religião parte do que gostaríamos que fosse e inventa um mundo com essas características. A ciência trata de observar o mundo honestamente e, a partir daí, modificá-lo.

É claro que a filosofia científica é mais dura de engolir: há muita miséria e desgraça no mundo e não há motivo para supor que cada pobre-diabo encontrará uma vida eterna de prazeres após a morte. A maneira científica de ver o mundo duvida de tudo, baseia-se no que vê, engaja-se em uma busca entusiasmada para entender o desconhecido.

Os religiosos não: eles idealizam o mundo atual e inventam conceitos como a reunião com entes queridos após a morte. Tudo fica mais fácil, não é mesmo? Não é preciso nem entender o mundo. As suas 'teorias' religiosas são suficientes.

No Brasil há muita gente que duvida dos cientistas e acredita nos religiosos. É necessário ter tido muita lavagem cerebral para chegar a esse estado. Por quê?

A pesquisa científica nos deu os antibióticos. O número de vidas salvas por esta única invenção encontra-se provavelmente na casa dos bilhões. Essa é talvez a invenção científica que mais salvou vidas.

A religião nos deu as guerras religiosas. Estas continuam até hoje e acredita-se que um confronto entre os da cruz e os do maomé será inevitável e sangrento. Milhões de pessoas ainda morrerão.

A forma científica de ver o mundo deu-nos conforto. Os avanços da medicina aumentaram a expectativa de vida. A tomografia, a geladeira, o ar-condicionado, a energia elétrica, aviões voando a mil quilômetros por hora. Quem realmente espera um fantástico paraíso após a morte não deveria se importar com estes confortos mundanos, mas eu me importo. Os religiosos, por via das dúvidas também usufruem, não é mesmo?

Os religiosos nos deram os tabus sexuais. É incalculável o número de pessoas cuja vida foi transformada em uma desgraça pelo simples desconhecimento do que acontecia com seus corpos.

Mais desgraça -> mais fiéis -> mais dinheiro.

Os religiosos são fãs dessa equação, incrementando a desgraça de todas as formas possíveis.


A ciência só prospera com a liberdade. Liberdade em todas as suas formas, liberdade de expressão, pensamento e raciocínio. Discussão livre sobre todos os assuntos.

A religião só funciona em parceria com a ignorância e a repressão. Não resiste à mínima exposição ao pensamento crítico. Efetivamente batalha dia e noite para a supressão do raciocínio lógico de modo que seus ensinamentos não sejam questionados. De que outra forma alguém poderia acreditar em idéias completamente irracionais como por exemplo o "espírito santo"? O religioso é como um cavalo com tapa-olhos. Irá cegamente para onde as rédeas puxarem. Não é por acaso que os países mais religiosos são os mais atrasados.

O método científico nos deu os anticoncepcionais. Milhões de famílias sairam da miséria porque puderam manter baixo o número de filhos, educá-los, fazê-los crescer intelectualmente e financeiramente.

A igreja nos trouxe a miséria dogmática: todas as religiões proíbem o controle da natalidade. Por que? Para que a cada geração haja mais miseráveis, mais pessoas em situação difícil, mais pobres que se satisfaçam com umas esmolinhas. A igreja sempre trabalhou para um mundo pior.

A ciência forneceu os mais fantásticos meios de comunicação instantâneos ao redor do mundo. Rádio, televisão, satélites, celulares, internet, blogs.

A igreja nos deu o atraso na forma dos oligofrênicos que ficam lendo e recitando o torá ou bíblia ou corão até o cérebro parar.

A ciência respeita todas as pessoas, inclusive os religiosos.

A igreja ataca homossexuais, mulheres, cientistas. Demorou 400 anos para admitir um 'errinho' na condenação de Galileu à prisão perpétua por dizer que a terra não está no centro do universo. Queimou milhares de pessoas na fogueira pelo 'crime' de pensar. Inventou a polícia religiosa e a tortura religiosa, formas de repressão que fazem as ditaduras do século XX palidecerem em comparação.

A igreja e os religiosos reúnem os seres intelectualmente mais covardes que existem no planeta. Usam o medo e o terror para impingir crenças estúpidas a criancinhas indefesas. Matam e difundem a estupidez. A mentira é sua forma de pensar, a tortura é a sua forma de agir. Sempre contra indefesos.

A ciência nos deu os único heróis dignos de nota: pessoas corajosas que foram contra todo mundo ao seu redor para defender o que reconheciam como certo. Pessoas incapazes de mentir, divulgando e ampliando o conhecimento humano, expandindo a nossa inteligência, sem preconceitos e sem discriminação.

Igreja é covardia, fraqueza e mentira.

Ciência é coragem, força e verdade.

É incrível que alguém ainda defenda os religiosos. Se insistirem nessa defesa, que pelo menos estejam plenamente informados de que estão a defender monstros e covardes, estão a defender o atraso da humanidade e a morte.

2006-12-23

Agora, falemos de gente que presta

Cada vez que eu falo de alguma personalidade deplorável, como falei do padre Marcelo, bispa Sônia e Lula no último post, sinto culpa. Para compensar vou falar hoje de gente de valor, não quero ficar bombardeando meus leitores com tanto lixo...

Hoje vou falar sobre uma descoberta feita em 1896 que mudou os rumos das ciências e forneceu inesperadas ferramentas para entender mistérios profundos. Antes desse ano não era possível saber o que fornecia a energia necessária para o sol brilhar, não havia como explicar, existiam muitas teorias, todas erradas ou incompletas.

Conto a história. Um ano antes, em 1895, meio por acaso, Wilhelm Roentgen havia descoberto um tipo de luz muito especial que atravessava o corpo humano. Esta descoberta mudou para sempre a medicina, culminando na moderna tomografia. A excitação da comunidade científica ante esta descoberta maravilhosa aguçou a imaginação de todos os cientistas do mundo que procuravam outras fontes para os misteriosos raios "X".

Trabalhando em seu laboratório, Rutherford fazia uma experiência para verificar se as substâncias fluorescentes e fosforescentes tinham a capacidade de gerar raios X além de luz visível. Para quem não sabe, fosforescência é a capacidade que certas substâncias tem de emitir luz após ser expostas a uma fonte de luz forte. Assim os interruptores com tintas fosforescentes continuam a brilhar no escuro para que os possamos achar no meio da noite. Bom, Rutherford estava testando essas substâncias, expondo-as à luz do sol e depois colocando-as sobre uma placa fotográfica coberta com papel preto. A fotografia também era uma tecnologia nova, e sabia-se que os raios X eram capazes de atravessar papel opaco, impressionando os filmes.

Quis a sorte que uma das substâncias que Rutherford estava testando fosse um minério de urânio. No dia em que queria realizar o experimento, acabou por desistir após constatar que estava nublado. Guardou o minério em uma gaveta, apoiado sobre o envelope com filme e deixou-o ali por um tempo.

Passadas algumas semanas, Rutherford revelou a placa, mas não esperava ver nada nela. Ficou espantado quando viu que o filme estava impressionado com uma misteriosa aura que parecia emanar da pedra de minério. Repetiu a experiência com e sem luz... sempre acontecia a mesma coisa.

Alguma energia estava sendo liberada continuamente pelo minério de urânio: fora descoberta a radioatividade, um fenômeno natural que era totalmente desconhecido até então. Esta descoberta gerou uma revolução nas ciências, o seu estudo permitiu explicar a fonte de energia do sol, permitiu o desenvolvimento de marcadores radioativos que ajudaram a desvendar mistérios dos processos bioquímicos, possibilitou datar objetos antigos e até a calcular a idade da terra e de fósseis com bastante precisão.

A partir dessa momento fatídico em 1896, muito trabalho foi feito. A descoberta do elemento químico radioativo Radium pela cientista francesa Mme Curie gerou ainda mais entusiasmo: havia agora uma substância radioativa centenas de milhares de vezes mais poderosa que o minério de urânio original de Rutherford. A história destas conquistas é magistralmente narrada no livro "The interpretation of Radium" de Fr. Soddy.

Encontrei-me com o livro por acaso, tinha sido comprado por meu avô em uma edição traduzida para o francês de 1926. É apaixonante lê-lo. Soddy sabe que está fazendo parte de uma revolução no conhecimento humano, descreve os pormenores de experimentos e as conseqüências incríveis de alguns resultados. A descoberta da radioatividade foi mais uma impressionante evidência a favor da teoria atômica, permitindo testar aspectos desta antes totalmente desconhecidos. Se quiserem passear pelo início do século vinte, junto com alguém que conheceu todas as personalidades mais marcantes da ciência nessa época, comprem o livro clicando aqui ou na capa do livro abaixo. Foram pessoas de verdade, não hipócritas mentirosos e aproveitadores. Satisfação garantida!



Um outro livro que conta a história de maneira muito didática é "Our friend the Atom". Apesar de parecer um livro infantil, não é. As ilustrações são de Walt Disney mas o texto é científicamente correto. Este livro é um primor da divulgação de ciência, muito mais fácil de ler do que o livro de Soddy e pode ser comprado clicando na capa abaixo. Eu até recomendaria a leitura deste antes do de Soddy.




2006-12-20

Oração natalina

Ah, Natal! Época de renovação e esperança. Símbolo de uma nova vida, do entendimento entre os seres humanos. Inspirado e contagiado pelo espírito natalino, decidi juntar-me a vocês para orar. Oremos, pois, oremos juntos.

"Deus todo-poderoso, fazei com que as pessoas não se esqueçam de usar o cérebro antes de fazer ou dizer algo. Oremos.... Amém"

"Deus, todo-poderoso que estais no céu, fazei com que as pessoas divulguem que fé é só outro nome para ignorância cega, tirai das pessoas a imbecilidade e substituí pela razão, mãe da tolerância e filha do divino... oremos... Amém."

"Deus, não castigai pecadores, fazei com que as pessoas os castiguem deixando de ouvi-los, fazei com que isolem sementes da ignorância como o padre Marcelo, a bispa Sonia e o Lula. Se roubaram, fazei com que as pessoas raciocinem e os coloquem no xadrez. Se mentiram, deixai que as pessoas exponham as mentiras e ridicularizem livremente os mentirosos e enganadores... oremos... Amém."

"Deus, querido Deus do céu, pai de todos nós, fazei com que as pessoas protejam a sabedoria e ataquem a ignorância. Fazei com que as pessoas ensinem e aprendam, fazei com que pensem e discutam livremente, sem limites e sem barreiras. Fazei com que se burlem dos preguiçosos e dos ignorantes para que estes corrijam os seus comportamentos. Mostrai a todos os seres humanos que a vida é aqui e agora... oremos... Amém."

"Deus, amado pai do céu, protegei blasfemos e hereges, pois eles trazem a semente da sabedoria e atacam a estupidez dos religiosos. Oremos... Amém."

"Deus, criador de todas as coisas e pessoas, fazei com que cada um perceba que dinheiro é para ser gasto e usufruido em bens materiais e em educação, assim como investimentos para o bem estar futuro. Impedí que as pessoas joguem seu dinheiro fora com curandeiros, jesuítas, padres, bispos, teólogos e outras categorias que os protegem e defendem a ignorância sem fronteiras e constroem templos à estupidez."

"Deus, querido Deus maior que todas as coisas, não mostrai nenhuma prova de Vossa divina existência, como nunca fizestes, para que as pessoas deixem de rezar e comecem a pensar em si mesmos e nos seus, comecem a agir em vez de esperar algo cair do céu... Oremos... Amém."

"Deus, magnífica criatura entre os magníficos, fantástico entre os fantásticos, não ajudai ninguém que não ajude a si mesmo.... Oremos... Amém."

"Enfim, Deus, continuai a fazer o que sempre fizestes, ou seja, nada. Um dia, após muita destruição e morte, a ignorância da religião acabará por ser suplantada pela sabedoria da razão e as pessoas saberão que os próprios atos são causa da própria miséria ou riqueza... Oremos... Amém."

Divulguem essa oração, mandando a pelo menos oito pessoas em 24 horas. Deus insinuou-me que quem não divulgar esta novena pode sofrer sérias desgraças. Soube de um religioso que torceu o pé. Outro teve um braço decepado pelo helicóptero que usava para chegar aos fiéis. Não tenho idéia das desgraças que Deus está reservando a quem interromper esta corrente.

Um felicíssimo Natal para todos!!!

2006-12-19

A cura

O Australopitechus religiosus do último post (clique aqui) não existe. O que me intriga é por que esse post causa tanto mal-estar.

Quem é que se sente mal quando lê um post como esse? Qualquer um que identifique minimamente seu próprio comportamento com o desse estranho animal. Não há dúvida que as pessoas percebem, no íntimo, que todas as manifestações das religiões são falsas. Até os religiosos o admitem, quando dizem que a "Fé é uma virtude".

Há um pequeno problema nesse conceito. A verdadeira tradução de "Fé é virtude" é "Acreditar em qualquer mentira que eu diga, por mais idiota que seja, faz de você uma boa pessoa.". É mesmo?

As igrejas sabem muito bem que as religiões não se sustentam à mínima argumentação lógica. Por este motivo, matavam quem tentasse dissuadir os fiéis. Sim, torturavam e matavam. Não só mantinham uma polícia religiosa como definiram um 'crime' chamado 'blasfêmia' que consistia basicamente em pensar racionalmente. Se é necessário impedir a todo custo que as pessoas pensem, deve haver um motivo muito sinistro para essa estranha atitude. Se você procurar na "enciclopédia católica" na versão em inglês (aqui) verá que menciona até as punições cabíveis, como a morte por apedrejamento, para o tal 'crime' que consiste simplesmente em pensar.

Tente entrar em uma dessas igrejas por aí e dizer às pessoas a verdade, ou seja, que nunca existiu um papai do céu. Você correrá o risco de ser espancado até a morte, simplesmente por dizer a verdade. A situação não mudou. Uma piadinha sobre um tal de Maomé gera fúria assassina. Tudo igual.

A má notícia é que religião é doença. A boa é que tem cura. Pense.

2006-12-18

Fósseis vivos

Em pleno século 21 vivem no nosso planeta primitivos animais, até pouco tempo atrás considerados extintos. Uma grande surpresa foi a descoberta de exemplares do peixe celacanto (Latimeria chalumnae), julgado extinto há mais de 100 milhões de anos. O choque dos arqueólogos com a descoberta ainda não foi totalmente superado. O celacanto original é muito provavelmente o ancestral de todos os anfíbios, mamíferos e répteis terrestres, e tem como característica especial as barbatanas frontais lobulares, das quais os nossos membros anteriores teriam se desenvolvido. Essa descoberta revive uma pergunta fundamental sobre evolução: se somos descendentes de peixes como esse, por que o celacanto continua quase igual, após 100 milhões de anos, enquanto nós somos tão diferentes?

Entre as descobertas modernas, é difícil encontrar uma mais importante que a de um outro animal que se acreditava extinto e é parente próximo de um antepassado humano, o Australopithecus afarensis. Alguns estudiosos o chamam de Australopithecus religiosus. Este animal, quase um fóssil vivo, é considerado bastante inteligente. Os cientistas acreditam que a sua linhagem foi a primeira a observar o mundo de forma crítica, elaborando teorias primitivas para explicar os fenômenos que os aterrorizavam, como as tempestades, raios e trovões. Estas teorias sempre envolviam um outro Australopithecus, mais poderoso, que controlaria as forças da natureza.

Os A. religiosus não inventaram a linguagem mas aprenderam a falar. Não inventaram a escrita mas aprenderam a ler de maneira imperfeita, tendo preferência por frases repetidas, vocabulários restritos e conceitos simples. O A. religiosus tem um forte espírito de grupo, sempre tentando se igualar aos que estão à sua volta, por meio de sofisticadas técnicas de imitação. Externamente parece-se muito conosco, ainda que as conexões de seu cérebro ainda remontem a uma era longínqua, muitos milhões de anos atrás, quando juntar-se em em bandos para apedrejar animais era uma prática comum de caça. Essa técnica era também utilizada para punir os membros do bando que não repetiam complexos rituais de confraternização e de sacrifício.

Os cientistas acreditam que o Australopithecus religiosus se parece tanto conosco por co-evolução e hibridização, apesar de que os detalhes de sua linhagem ainda não tenham sido claramente estabelecidos. Espera-se que em um futuro próximo testes em seu DNA mitocondrial possam determinar o nosso parentesco exato com essas criaturas.

Quando treinados apropriadamente, os A. religiosus podem efetuar diversas tarefas simples, como dissolver uma hóstia na boca sem mastigar, dizer fórmulas ajoelhando-se para uma direção pré-determinada, ou ainda repetir frases gritando e levantando os braços. Alguns dizem milhões de vezes a mesma coisa diante de um muro balançando repetidamente para frente e para trás. Outros giram ao redor de uma pedra entoando cânticos. Quando não treinados, podem tornar-se violentos. Repetições incessantes os acalmam e anulam muitos de seus instintos primitivos.

Infelizmente, algumas pessoas inescrupulosas treinam os volúveis Australopithecus para operações tenebrosas de guerra e destruição. Alguns os incitam a cobrir-se com explosivos e correr na direção de um 'inimigo' pré-determinado, outros os ensinam a empunhar foices e cortar cabeças sob o comando de um esperto mestre assassino.

Sem adestramento apropriado, os A. religiosus podem ser muito perigosos. Leis foram inventadas para dificultar o seu descondicionamento, chegando ao ponto de condenar à morte quem tentasse explicar aos A. religiosus que seu treinamento é inútil e contraproducente. Uma solução definitiva para o problema está ainda para ser descoberta. Os cientistas estão exultantes por ter conseguido implantar células tronco humanas em cérebros de Australopitecus. Em um futuro próximo o caro e ridículo condicionamento destas estranhas criaturas pode deixar de ser necessário, abrindo um gigantesco e maravilhoso leque de possibilidades para o futuro da humanidade.

2006-12-16

Religião - argumentos contra e a favor

Este didático vídeo explica por que não é possível considerar religiosos seriamente:


Para que vocês não me acusem de ser parcial, publico outro vídeo, a favor do cristianismo... Vocês decidem quem tem razão.



2006-12-14

Supersimples: Avanço ou consolidação do atraso?

Entre os muitos problemas do Brasil destaca-se o sistema de impostos. Dúzias de taxas e 'contribuições' incidem sobre consumo, produção, transferências financeiras... O que é realmente patético é quando o governo alardeia uma mudança como um progresso, quando na verdade ela simplesmente consolida o atraso de um país que insiste em ir para trás. Veja a notícia aqui.

O SuperSimples é um imposto nefasto. O problema é que incide sobre o faturamento. Impostos que incidem sobre o faturamento destróem a atividade de empresas: basta que elas tenham prejuízo em um período de atividade para que venha o governo terminar de quebrá-las, como se desferisse um golpe de misericórdia.

Impostos devem incidir sobre o lucro. Em todos os países civilizados é assim. Se a firma lucra, paga imposto. Se não lucra, não paga. Em alguns países é permitido compensar o prejuízo de um ano no ano seguinte.


O Brasil insiste em ir para trás, até quando as pessoas acham que estão progredindo.

Religião e ética médica



O Tambosi publicou em seu excelente blog:
Haja conflito!

Antes de fazer qualquer consideração, relato o caso. Faleceu nesta semana, num hospital público de Florianópolis, uma jovem de 20 anos que rejeitou, por motivos religiosos, a transfusão de sangue que era necessária à manutenção de sua vida. Testemunha de Jeová, como seu pai e parte da família, ela deixou escrito que não aceitaria a transfusão, proibida por sua religião. Submetia-se a tratamento "alternativo", acompanhada de uma médica que cultiva a mesma religião. Detalhe: o medicamento (?) alternativo (?) era preparado pelo marido da médica.

Como se percebe, o problema não é relativo à paciente. Qualquer cidadão, religioso ou não, tem o direito de dispor sobre sua vida como lhe aprouver. Ninguém deve ser forçado a viver ou morrer. O problema diz respeito - e profundamente - à ética médica, à qual estão submetidos todos os profissionais dessa área.
para ler mais clique aqui.

É só um interessante exemplo de como as religiões vão se apropriando de todas as brechas concedidas por uma sociedade tolerante, desrespeitando a vida. O catolicismo, com sua doutrina absurda de 'vida humana começa após a concepção' efetivamente extende a sua dominação até o útero de milhões de mulheres. Se uma mulher está grávida, a igreja não tem nenhum direito sobre um feto em gestação. Nem as igrejas tem direito de defender leis para os que seguem seus preceitos ou que as favoreçam de alguma maneira.

Ao final de contas, religião é simplesmente insanidade mental aceita socialmente. O erro da sociedade consiste em aceitar. Pagamos um preço demasiado alto por isso.

2006-12-13

Petistas e religiosos

Há muitas semelhanças entre petistas e religiosos. Uma que se destaca é a de que os religiosos se apóiam em mentiras e os petistas também. À primeira vista, os religiosos parecem se apoiar em mentiras escritas em um livro velho, enquanto os petistas vão variando as mentiras de acordo com a conveniência imediata. Esta diferença desaparece quando examinamos com mais cuidado os livros que os religiosos usam. Eles também variam as interpretações que fazem desses livros de acordo com os interesses do momento, e selecionam pedaços de acordo com a sua conveniência. Livros ambíguos são bem úteis nesse sentido.

Os petistas detestam os religiosos assim como estes detestam os petistas. Esse ódio mútuo se deve simplesmente que ambos ambicionam a mesma coisa: controle e poder. Para os petistas a igreja é um obstáculo, para a igreja o petismo é uma ameaça.

Tanto o petismo como a igreja se baseiam na anulação do pensamento racional. Ninguém em sã consciência acredita que a 'virgem' Maria era virgem. Também ninguém que pense acredita que o Lula governa realmente. Ambos os sistemas precisam de um contingente de gente ignorante e irracional para poder continuar existindo.

Tanto a igreja como o petismo se querem guardiães da moralidade. O papa dita preceitos a ser seguidos pelos seus fiéis, enquanto o equivalente petista, o Lula, costuma dizer que não existe ninguém com mais moral do que ele.

Os dois sistemas são de uma covardia ímpar: quando alguém questiona racionalmente algum ítem considerado de "Fé" religiosa, os carolas de plantão gritam imediatamente que somos 'preconceituosos' e estamos 'discriminando' a religião. Da mesma maneira os petistas gritam imediatamente "Preconceito!" cada vez que alguém menciona a incompetência ou falta de estudo de qualquer integrante da seita.

No mesmo ítem de covardia, tanto a igreja como o petismo escondem suas fontes de dinheiro de todas as formas possíveis. As guerras de poder da igreja deixam mortos, como os papas que precederam João Paulo II, por exemplo. Ou será que morreram por coincidência, como as testemunhas do caso Celso Daniel?

A semelhança mais impressionante entre igreja e petismo é o pobrismo. Ambos, para se promover, utilizam a esmola. Por um lado, a esmola não é paga por eles, já que o dinheiro sempre é de terceiros. Pelo outro, ambos têm que manter imensos contingentes de miseráveis, para que a esmola seja valorizada. As igrejas o fazem proibindo os fiéis de usar anticoncepcionais, praticamente garantindo gerações inteiras de filhos sem pai e sem dinheiro. O petismo, apesar ter se intitulado progressista e ter defendido o aborto e planejamento familiar, agora que está no poder embarcou na mesma onda da igreja. Ambos temem que o estoque de miseráveis diminua e trabalham duro para mantê-los miseráveis. Nenhum dos dois se importa com o número de mortes que ocasionam fomentando pobreza e ignorância. O único objetivo é manter o poder.

Eu não tenho dúvidas quanto às semelhanças entre petistas e religiosos. Alguém discorda?

2006-12-12

Einstein

Dizer que Einstein era religioso é uma das mais propaladas mentiras a favor da religião. Einstein era ateu. Vejam estas cartas dirigidas a Einstein:

"Lamentamos terrivelmente a sua afirmação ... na qual o Sr. ridiculariza a idéia de um deus pessoal" Advogado trabalhando para uma coalisão ecumênica

"Einstein é inquestionávelmente um grande cientista mas suas visões religiosas são diametralmente opostas ao judaísmo" - Rabino de New York

"Nós respeitamos a sua sabedoria, Dr. Einstein; mas existe uma coisa que o Sr. parece não ter aprendido: que Deus é um espírito e não pode ser achado através do telescópio ou do microscópio, não mais do que o pensamento humano ou emoção podem ser achados analisando o cérebro. Como todo mundo sabe, religião é baseada em Fé, não conhecimento. Cada ser pensante, talvez, é assaltado de vez em quando por dúvidas religiosas. Minha própria fé trepidou mais de uma vez. Entretanto eu nunca disse a ninguém nada a respeito das minhas aberrações espirituais por duas razões: (1) eu temi que eu pudesse, por mera sugestão, perturbar e danificar a vida e esperança de um outro ser humano; (2) porque eu concordo com o escritor que disse "Existe um lado maldoso em qualquer um que destrói a fé de outra pessoa"... Eu espero, Dr. Einstein, que você não tenha dito o que foi publicado e que venha a dizer algo mais agradável para o vasto número de americanos que o respeitam." - Presidente de uma sociedade histórica em New Jersey

Se estas cartas não satisfazem, veja o que o próprio Einstein dizia sobre religião:

"É naturalmente uma mentira o que vocês leram sobre minhas convicções religiosas, uma mentira que é repetida sistematicamente. Eu não acredito em um deus pessoal e nunca neguei isso, mas o expressei claramente. Se algo em mim pode ser chamado religioso isso é a admiração sem limites pela estrutura do mundo da maneira que a ciência consegue revelá-la" - Albert Einstein


Não está satisfeito? Então veja esta:

"Eu sou profundamente não-religioso. Talvez isto seja uma nova espécie de religião.

Nunca imputei à natureza um sentido ou objetivo, ou qualquer coisa que poderia ser entendido por antropomórfico. O que eu vejo na natureza é uma estrutura magnífica que podemos compreender de maneira muito imperfeita e que deveria preencher uma pessoa inteligente com um sentimento de humildade. Esse é um sentimento religioso genuíno que não tem nada a ver com misticismo.

A idéia de um deus pessoal me é estranha e parece mesmo ingênua." - Albert Einstein

Qualquer um que diga que Einstein era religioso está simplesmente repetindo uma mentira. Ainda bem. Einstein chocou os religiosos em sua época tanto ou mais que Dawkins agora. Isso é muito bom sinal.

O fato de expressar a própria admiração pelo universo não tem absolutamente nada a ver com religião. A religião é mesquinha e pobre, proíbe e condena. Tortura e destrói. O mundo é livre e está ainda por ser descoberto. A cada nova descoberta os religiosos reclamaram e bateram o pé. Mataram e torturaram quem inovava. Todas as vezes perderam a razão, mas continuam insistindo em propagar atraso e discriminação.

O verdadeiro deleite

O verdadeiro deleite está no descobrir, mais que no saber.
Isaac Asimov


Esse é o ponto básico de qualquer crítica às religiões. Nós sabemos muito pouco. Postular, inventar ou adotar um deus para resolver as dificuldades é uma postura de uma covardia e arrogância intelectuais infinitas. Não respeito intelectualmente ninguém que use esse subterfúgio.

Muita gente chama de 'deus' o cosmos, a natureza. O próprio Dawkins chama esse 'deus' (que óbviamente não é o dos livros religiosos) o 'deus de Einstein'. Se você usa a palavra 'deus' de maneira intercambiável com 'cosmos' ou 'natureza' ou ainda 'universo', tenho uma novidade para contar: você não é religioso.

Senhor, dai-me fé! - 4 - crença, tolerância e hipocrisia

Não há nada no mundo mais democrático que um blog. Se alguém não gosta, basta não ler. Entretanto, se a democracia não vigora, o blog é uma interessante arma contra uma ditadura estabelecida. A China bloqueia blogueiros e se possível os prende. Em Singapura, de acordo com uma amiga, há um blog de piadas políticas. O governo tenta, mas não consegue bloqueá-lo. O sucesso do blog é estrondoso...

O meu é pequeninho. Devo ter uns 3 mil hits por mês. Não sou Paulo Coelho nem Reinaldo Azevedo, e Noblat menos ainda. Escrevo para mim mesmo e para quem gosta de ler e discutir o que ponho aqui. Devo ganhar uns 5 reais por mes com venda de livros... Entretanto fico feliz quando alguém compra os livros que eu recomendo. Esse é meu objetivo.

Quero contar para vocês um evento que aconteceu na semana passada em Melbourne. Aqui existe uma escola islâmica. Dois estudantes islâmicos levaram uma bíblia para o recreio, cuspiram nela e a queimaram. Até aí, tudo bem. Como eu disse no post anterior os islâmicos acham a bíblia um livro cheio de baboseiras assim como os católicos acham o corão um livro inútil. O que aconteceu depois é que me chamou a atenção.

Os dois estudantes islâmicos foram expulsos da escola islâmica por terem queimado a bíblia. O diretor da escola ainda fez uma declaração a favor da tolerância religiosa. Fiquei embasbacado. A primeira coisa que pensei foi: "Foram expulsos por terem queimado a Bíblia? Não é uma punição demasiado severa por queimar um livro?" Eu não gosto de ver nenhum livro queimado, acho isso uma demonstração de ignorância. Entretanto, como não há falta de bíblias no mundo, destruir uma não deveria ser considerado um fato tão grave... Pouco tempo depois percebi o motivo real.

Eles não foram expulsos por queimar a bíblia. Eles foram expulsos para evitar a ira dos cristãos que já estão de olho nos islâmicos e esperando o mínimo escorregãozinho para deportá-los da Australia. Eu estou quase certo de que aqui ninguém seria expulso por queimar uma bíblia em uma escola laica. Eles foram expulsos porque a escola era islâmica.

Fiquei pensando nisso por um tempo. Se os católicos disserem o que acham dos islâmicos ou os islâmicos disserem o que acham dos católicos, a guerra é certa. O que eles fazem é fingir que está tudo bem, escondendo as suas opiniões reais. Isso não é tolerância. Isso se chama hipocrisia.

Como se fosse para confirmar a minha teoria, aconteceu mais um evento estranho nessa escola islâmica. O mesmo diretor que expulsou os estudantes foi abordado na última sexta à tarde por um homem misterioso, que o espancou. O diretor perguntou quem ele era e a resposta veio, certeira: "Sou Jesus!"

2006-12-11

Senhor, dai-me fé! - 3

Alguém também mencionou que há muitos cientistas religiosos. Lamento informar que isso é uma mentira propagada pelas igrejas.

Para começar, dizer-se ateu foi considerado crime punível com morte durante muitos séculos em muitos lugares. Chamava-se blasfêmia ou "crime contra a fé". No post inicial mencionei a categoria dos "mentirosos". Há dois tipos de pessoas que professam uma religião quando não acreditam: os que o fazem para manter ou conseguir poder e os que o fazem por medo de represálias. A igreja católica certificou-se que o medo estivesse sempre onipresente, já que a "punição divina" não parecia ser tão confiável como a da polícia religiosa. Em um ambiente assim, como não dizer-se católico? Para qualquer pessoa sadia não faz a menor diferença, exceto para a própria consciência. Hoje, nos Estados Unidos, se você se disser agnóstico jamais conseguirá se eleger para qualquer cargo público. Isso não é uma conseqüência de estúpida repressão religiosa?

Na mesma linha estão os que dizem que muitos cientistas são religiosos e adoram citar Einstein, por exemplo. Lamento informar que eu conheço muitos e muitos cientistas e nem um único deles é religioso. É quase impossível para alguém que precisa usar a cabeça de maneira coerente acreditar nos "mistérios da santíssima trindade", só para citar um exemplo das tremendas baboseiras impostas aos religiosos. A esmagadora maioria dos cientistas são agnósticos ou ateus.

Mesmo Einstein era ateu. Várias citações religiosas lhe são atribuídas, mas um intercâmbio de cartas com um rabino não deixa dúvidas a respeito do assunto. Se vocês tiverem interesse posso procurar para publicar aqui. Em uma época onde mencionar a própria sanidade era estigmatizado, é razoável imaginar que muitos mentiriam a respeito deste assunto.

Agora, a objeção mais interessante é a de que o Marxismo é ateu, e Marx era ateu. O comunismo seria portanto a prova de que as religiões são moralmente superiores à falta delas. Será mesmo? Deixo a resposta a esta pergunta para o próximo post.

Senhor, dai-me fé! - 2

Recebi várias e interessantes manifestações a respeito do meu texto anterior. Queria respondê-las por partes.

Para começar, eu não gosto da denominação "ateu". Ela foi inventada... pela igreja. Ninguém diz que alguém é "antiallah" porque não acredita em allah. O que as pessoas chamam de deus é uma invenção da igreja. Porque eu não acredito em uma invenção eu tenho que ter uma denominação? Porque não dizer que sou simplesmente "são"?

Qualquer católico acha que o corão é talvez somente uma obra literária. Alguns acham que é um livro maldito. Por outro lado os muçulmanos acham que a bíblia é uma obra literária ou um livro maldito.

Eu acho que tanto o corão como a bíblia são obras literárias de gosto duvidoso. Escritas por pessoas. Nenhum dos dois é condenável... a menos que as pessoas baseiem suas vidas no que está escrito neles.

Agora, tente dizer para um católico (que na grande maioria das vezes jamais leu a bíblia) que a bíblia é só um amontoado de historinhas. Ou para um muçulmano, a respeito do corão.

Eu não acho o muçulmano menos esperto que o católico. Ambos estão exatamente no mesmo nível de ignorância, e conseqüentemente, de intolerância. Se você acha que a sua religião é a correta, o judeu vai achar que a dele é que é a correta. Não há forma de conciliar as múltiplas visões deturpadas do mundo.


2006-12-10

Senhor, dai-me fé!

O que é necessário para ter fé? O que é preciso para ser um religioso fervoroso, para creer em deus? A resposta é simples. Só há duas maneiras básicas de ser religioso. A primeira é anular a própria capacidade de pensar. De que outra maneira alguém poderia acreditar na monstruosa montanha de imbecilidades que as religiões professam? Como uma pessoa poderia acreditar no inferno e, ao mesmo tempo, temer ser enviada para lá por acender uma lâmpada no Shabbat? Ou de ir à 'igreja do reino de deus' e deixar uma parte significativa do seu salário para um palhaço que grita com um livro na mão, e ainda acreditar que fazendo isso, após a morte irá para o paraíso (sem contar com acreditar no paraíso)?

Uma pessoa que faz isso por fé já tem o cérebro destruído de tal maneira que sua recuperação é impossível. Essa pessoa provavelmente não será nunca capaz de pensar. Como o cérebro dissolvido de um drogado, esse cérebro religioso já era.

A segunda maneira de "ser religioso" é mentindo. Na verdade esta nem deveria contar, por desonesta. O Vaticano está cheio destes, que dizem creer em deus mas não acreditam minimamente. Mentem por benefício financeiro, poder ou prestígio. Nesta categoria dos "mentirosos" encontram-se também aqueles que, rodeados de religiosos por todos os lados, tem medo ou vergonha de dizer o que acham, e concordam com quem está ao redor.

É muito bonito dizer que respeitamos as religiões dos outros. Entretanto, esse "respeito" deveria ter acabado há muito tempo, pois essas pessoas não respeitam nem nunca respeitaram quem não pertence à sua seita. Insidiosamente embutem nas leis seus dogmas assassinos. Hoje, por exemplo, no Brasil o aborto é um tabu. Apesar de milhões de brasileiros serem plenamente a favor do aborto, a palavra é quase proibida devido à pressão dos que se dizem religiosos, ou querem parecer religiosos, ou são imbecis religiosos. O número de mulheres que morreram e de filhos sem pai decorrentes de leis distorcidas pela religião é impossível de calcular com exatidão.

Eu não tenho nada a ver com as crenças dos atrasados. O Brasil foi um dos últimos países no mundo a permitir o divórcio, devido à pressão dos crentes. O Brasil nem discute aborto devido à imbecilidade dos que vão à igreja. Enquanto isso, milhões de pessoas sofrem e morrem, sempre devido a esses cérebros que há muito perderam a capacidade de elaborar um pensamento lógico.

Religião e besteirol são indistingüíveis. O fato de que a maior parte do Brasil acredita que um analfabeto vai salvar o povo não vai fazer com que eu concorde com eles. O petismo entra muito bem na categoria de religião, só que sem livro santo devido ao analfabetismo de seu líder. A tolerância com os imbecis tem limites, e eles extrapolaram todos os limites possíveis.

Hoje muita gente tem medo ou vergonha de dizer que não crê em deus. Eu jamais diria que acredito. Afinal, o que as pessoas poderiam pensar sobre a minha capacidade de raciocínio?

--------

Fique com um excelente vídeo (37 minutos). Se você não entende inglês, aprenda. Se sabe um pouco, aperfeiçoe-se. É um fascinante show de lógica e inteligência contra o retardo mental defendido pelas religiões.



A segunda parte, mais longa, é talvez mais interessante ainda. É a sessão de perguntas do público...




2006-12-09

Um bom fim-de-semana para vocês

Vou dar um passeio e depois conto como foi, ok? Encontrei esta maravilha no youtube. Enjoy!!!




2006-12-08

Passageiros da GOL mortos pelos petistas

Eu já desconfiava (aqui) que havia algo errado. Entretanto o PT piorou tudo, muito. Ouça (aqui) porque o Lula e o Dirceu devem ser indiciados pela morte dos passageiros da GOL. Regrinha: sempre que o governo culpa estrangeiros é porque algo está fedendo na lama suja em que o Lula e os petistas chafurdam.

Em 1967, uma premonição.

Ninguém imaginaria em 1967 que um simples desenho animado viria a se tornar realidade quase quarenta anos depois em um país da América do Sul. Vejam o que acontece quando um presidente não tem condições de governar clicando (aqui). É um vídeo de 6 minutos com som.

Digam depois o que acharam. Tem até charuto cubano, um "braço direito" safado, um "aloprado" e um observador que nota que há algo errado.

A segunda parte é ainda mais hilária, clique (aqui). Nesta parte o presidente, que "não sabia o que estava fazendo" ajuda o aloprado e o trambiqueiro a roubar cofres. Os policiais o deixam em paz porque o reconhecem. "Este sim é um verdadeiro presidente, os policiais o respeitam" diz o trambiqueiro.

2006-12-07

Turistas...

Parece o paraíso... Sente-se como em férias... mas num país em que vale tudo... tudo pode acontecer.

Trata-se de um filme B do tipo "O tarado da serra elétrica VII", rodado em Oklahoma? Ou "Wolfe Creek" no deserto australiano? Por quê estes não despertam tantas paixões?

Da mesma maneira que quando "Os Simpsons" fizeram piada sobre seqüestros no Brasil, imagino como a indignação será generalizada. Já existe até movimento "Boicote o filme TURISTAS!".

Por que será que os moradores de Wolfe Creek não fizeram um boicote ao filme homônimo? O filme era baseado em fatos reais, mas o assassino depravado foi preso. Hoje temos até seqüestradores no governo, e ninguém jamais é levado à justiça. O boicote ao filme então é essencial, ou alguém pode desconfiar que existem bandidos no Brasil, não é mesmo?

Além do mais, tudo o que o filme retrata acontece, apesar de que talvez extrair órgãos de turistas para vender seja um pouco exagerado. Mas quem é que não foi assaltado? Todo mundo sabe que o "Boa noite Cinderela" não é ficção. Em um país onde os controladores de vôo não sabem inglês, onde o presidente não sabe ler e onde assassinos confessos não são presos porque é dia de eleição, tudo pode acontecer. Não me admiraria nada que em um futuro próximo alguma "organização criminosa" associada a "aloprados de um partido político" cheguem à conclusão que roubar rins é muito bom negócio. Afinal, no Brasil existem 400 milhões de rins humanos. A três mil reais por rim, 100 milhões de rins valeriam 300 bilhões de reais. é um excelente negócio para quem controla "organizações criminosoas" não é mesmo? E nem vai ser tão ruim assim, com as técnicas modernas ninguém vai sentir muita dor e nem vai dar pela falta, afinal vive-se muito bem com somente um rim.

Será que se o governo instituir a "doação compulsória" de um rim, alguém vai se revoltar? Será que aí vai haver um panelaço?

Não creio. Já houve razões de sobra para reação, mas no Brasil nunca ninguém reage. Ameaças contra a vida são tratadas de maneira corriqueira. "A saúde no Brasil é perfeita"... ninguém dá pela falta de um rim.

Eu não boicotaria "Turistas". Afinal os filmes vêm e vão e todo mundo esquece. É uma pena que esse filme não seja um documentário sobre a história do partido dos aloprados, ou sobre aquele que tem "mais moral que qualquer brasileiro". Isso sim seria interessante para abrir os olhos do Brasil. O que vem pela frente vai durar mais e gerar mais desgraças e mortes do que se alguém teimasse em arrancar 100 milhões de rins.

Com vocês, Turistas:






2006-12-05

As mulheres e o progresso

“Hipátia (370-415 DC), filha de Theron, era uma cientista, matemática, astrônoma, líder da escola de filosofia neo-platônica e diretora da Biblioteca de Alexandria. Cirilo, o arcebispo de Alexandria, a odiava por ela ser um símbolo da ciência e da cultura que, para a igreja primitiva, representavam o paganismo. Ela continuou seu trabalho apesar das ameaças até que, no ano de 415, foi cercada pelos monges e paroquianos de Cirilo, despida e esfolada até a morte com cacos de cerâmica. Seus restos foram queimados, suas obras destruídas e Cirilo foi canonizado.”

Carl Sagan - Astrônomo e escritor americano,
1934-1996
Este simpático santinho católico deve ter iniciado a perseguição às "bruxas" pela igreja. Durante a idade média qualquer pretexto era bom para queimar mulheres vivas. A discriminiação completamente injusta contra as mulheres encontrou na igreja um magnífico e poderoso aliado e continuou por muitos séculos. Para dizer a verdade, todas as religiões conspiravam para mantê-la submissa e apagada. O tratamento dispensado a elas que vemos hoje no islamismo radical seria na idade média considerado algo muito razoável.

Como um desgraçado como Cirilo foi canonizado? E como, após reconhecer o crime que cometeu, a igreja não o excomungou? É porque ele estava defendendo algo que as religiões chamam de fé, ou seja, a creença em dogmas impossíveis de provar e que tem que ser defendidos até a morte. Isso porque qualquer um que use de uma terrível arma chamada "razão" destruiria esses dogmas rapidamente. Os "crimes de fé" ou heresias eram punidos com a morte enquanto a igreja reinava soberana espalhando o terror da inquisição.

“Pois é muito mais grave corromper a fé, da qual vem a vida da alma, que falsificar dinheiro, pelo qual a vida temporal é sustentada. Logo, se falsificadores e outros malfeitores são imediata e justamente executados pelos príncipes temporais, com muito mais justiça podem ser hereges, assim que denunciados, não apenas excomungados mas também mortos.”

Tomás de Aquino - Frade dominicano e teólogo italiano,
1225-1274


Em contraposição a esta ignorância crônica, as mulheres tem um motor interior impressionante: elas querem e fazem tudo o que está a seu alcance para que seus filhos melhorem. Bom, não vamos generalizar. Veja o que disse esta santa senhôra:


“A superpopulação não é um problema, é a vontade de Deus.”

Madre Teresa de Calcutá-Missionária albanesa,
1910-1997



Talvez madre Teresa simplesmente sofresse de excesso de honestidade: afinal se a igreja proíbe, em pleno século 21, simplesmente proíbe a camisinha e todos os métodos contraceptivos e se a palavra da igreja é a vontade de deus, este deve mesmo querer que morramos todos de fome, uns em cima dos outros. Madre Teresa só disse a verdade, candidamente. Lindo isso.

Voltando às mulheres normais... elas tem embutido dentro delas o progresso: elas empurram os filhos para frente, querem que estudem, consigam trabalho, se dêem bem. Talvez a redução à repressão contra as mulheres tenha ajudado o mundo a ir para a frente em velocidade descomunal nos séculos 19 e 20. Ainda há muito o que melhorar em pleno século 21, mas se compararmos com o início do século 20 quando mulheres não podiam votar, não podiam se separar, não podiam decidir o seu próprio futuro e eram tratadas como debilóides, a situação melhorou muito. Talvez estejamos mesmo progredindo.

2006-12-04

Lula, quiero decirte una cosa...

- Lula?

- O que foi, Chávez?

- Quiero decirte una cosa...

- Fala logo, pô!

- Es que no se si vas a entender.

- Eu entendo, Chavez! Eu entendo até o Fidel que fala mais enrolado...

- Bueno, te quiero decir que yo... soy tu... mañana.

- Hein?

- Mañana!!!!!

- ?!?...

Há alguns anos era só necessário olhar para o que estava acontecendo na Argentina para descobrir qual seria a nova medida econômica no Brasil. Era muito prático, era só ler o jornal argentino e podíamos prever o futuro... Algo mudou entretanto. O Brasil piorou. Uma vez que o nosso presidente vê na miséria africana um exemplo a ser seguido, o vizinho com o qual nos comparamos mudou, passou a ser a Venezuela. Isso é muito conveniente: podemos saber o que vai acontecer no Brasil no futuro imediato! Imaginem as possibilidades... Quem não está convencido do que digo por favor veja este vídeo. É um pouco longo, concordo, mas vale a pena. Na verdade acredito que um vídeo neste estilo deveria ser feito a respeito da história completa do partido do Lula e como ele arrecada dinheiro desde a década de 70... seria extremamente instrutivo.

Reparem em como é a relação entre Chavez e a imprensa. Se o vídeo é muito longo para você, vale a pena ler este post.


2006-12-01

A Australia não tem petistas, mas...

Apesar de existirem diversos tipos de esquerdistas na Australia, a versão aperfeiçoada do clepto-stalinismo socio-discriminante e analfabeto que o petismo representa não é encontrada por aqui. As pessoas tem uma certa simpatia pelos esquerdistas mas no fim votam em quem tem as melhores propostas para fazer a economia melhorar.

Na verdade, o fato de os pobres daqui serem ricos para padrões brasileiros faz com que os interesses deles estejam alinhados com os de seus patrões. No Brasil versão petista, a diferença entre pobres e ricos é uma dádiva dos deuses, que é alimentada por pitadas de ódio classista, para manter a chama acesa. Se essa chama se apagar, adeus petismo. Entendo o Lula, passando a mão na cabeça dos bandidos do PCC. Eles são a sua força.

Bom, aqui não tem petistas, mas encontrei um interessante artigo descrevendo um "grupo de pessoas" com comportamento similar (clique aqui para ler).

Este é o depoimento de um policial que ficou completamente estupefacto ao encontrar o seu primeiro criminoso muçulmano. Ele descreve com requintes as artimanhas de esconder drogas nas fraldas dos bebês, nas vestes das mulheres e de gritar "Preconceito!" cada vez que uma mulher tinha que ser revistada. Mais ainda, ele descreve como a polícia é fraca contra este tipo de criminoso, temendo sempre ser acusada de discriminação. "Multiculturalismo" é a palavra de ordem e é forçada aos impotentes policiais. Dizem-lhes que há que compreender esta gente, pois eles vêm de um lugar onde não se pode confiar na polícia. Enquanto isso, a polícia está de mãos atadas para punir estas pessoas, apesar de receberem pedradas quando fazem a ronda nos seus bairros. As atividades criminosas das gangues muçulmanas são as que estão crescendo mais depressa.

Vale a pena ler a narrativa deste policial aposentado. Ele percebeu que, na verdade, este tipo de criminoso é o mais covarde e é o primeiro que "amarela" quando tratado com firmeza.

Veio à minha mente um pensamento. O que você diria de alguém que, mesmo eleito presidente, continua gritando "Preconceito! Preconceito!" cada vez que é pego em atitude suspeita?