2007-10-19

O exército de tarados do Maloqueiro-mór

Mais uma do Lula, em sua incansável batalha para abocanhar mais dinheiro para o PT, destruindo a democracia e o capitalismo, aproximando-se de Cuba e do Gabão. Ao preço de mais de US$100 por tonelada, o prejuízo é de pelo menos 1.6 milhões de dólares em um único dia.

São Paulo, 19 de Outubro de 2007 - Estrada de ferro no Maranhão que transporta 250 mil toneladas/dia de minério foi ocupada. Os trens voltaram a funcionar com restrição de velocidade, mas o prejuízo já estava contabilizado. Ontem, a Vale do Rio Doce ficou sem abastecer sua pelotizadora no Maranhão, que produz 6 milhões de pelotas de ferro por ano. Em um dia, deixou de produzir cerca de 16,4 mil toneladas. Isso porque o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) ocupou, quarta-feira, a Estrada de Ferro Carajás, que transporta 250 mil toneladas de minério de ferro ao dia .

Após ordem judicial, o governo do estado tirou o MST dos trilhos. Mas disse que não poderia retirar os manifestantes das laterais da estrada, onde se instalaram. Os trens circulam com restrições porque, segundo a Vale, a ocupação das laterais gera riscos. "Vamos permanecer até que nossa pauta de reivindicações seja atendida", disse Ayala Ferreira, coordenadora do MST no Pará.

Página A-8 (Gazeta Mercantil/1ª Página - Pág. 1)(Wilson Gotardello Filho)


5 comentários:

Anônimo disse...

Não se esqueça de fazer comentários a respeito do padre petista e suas amizades ....

Eduardo Bernasconi disse...

Eu estava na Vale fazendo serviços quando grande parte das operações da mina teve que ser interrompida por este fato. Ontem, durante minha viagem de volta, um funcionário da CVRD me confidenciou que foi oferecido ao MST 400 vagas para capinadores que se encontram em aberto, mas não aceitaram. E olha que a Vale ia fornecer as ferramentas. Eles nem precisariam usar as deles. Eu sempre fico pensando por que carregam enxadas e foices esses caras?

Geraldo Guarulhos, SP disse...

Zappi tem razão: o maloqueiro-mor está sempre se superando. Qual será o proximo golpe? Qual será o proximo setro produtivo a ser atacado?
Pergunta que não quer calar: para que serve o poder judiciario mesmo?

Otacílio disse...

Respondendo ao Geraldo Guarulhos, o próximo centro produtor a ser invadido será a fazenda Coqueiros, no Rio Grande do Sul, onde o objetivo deles é estabelecer um centro de treinamento de guerrilha.
Três colunas do MST se deslocam para lá. A justiça proibiu a invasão, mas eles não obedecem a justiça. Por outro lado, os fazendeiroa da região estão prontos para enfrentá-los. Se a polícia não intervir com força, vai correr sangue.

Pedro Henrique Geisel disse...

O pior de tudo é que a grande maioria dos participantes é massa de manobra do Stédile e seus comunistas amestrados...
Quando teremos um governo forte para dar um basta nisso? Pelo andar da carruagem, nunca...