2008-03-04

Cultura brasileira na diplomacia

Celso Amorim insiste em mais um pedido de desculpas da Colômbia ao Equador e à Venezuela.

O pedido tem que ser incondicional.

Eu acho que entendi o espírito da coisa. Vou ajudar a redigir. O presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, que estudou em Harvard e Oxford, não precisa fazer nada. É só copiar o meu pedido de desculpas.

Perdoa-me, Rafael Correa. Perdoa-me por que permites aos traficantes usarem o território equatoriano como base de operações. Perdoa-me por dares apoio logístico aos narcotraficantes que mataram 45000 colombianos. Peço mil perdões.

Perdoa-me Hugo Chavez. Perdoa-me por teres dado 300 milhões de dólares do povo venezolano aos traficantes que sugam a energia do meu país. Perdoa-me por 93% do povo colombiano odiar os traficantes. Peço especial perdão pelos traficantes terem matado meu pai. Perdoa-me, Chavez, eu imploro.


Amorim ficará satisfeito. É a diplomacia brasileira, inspirada em Nelson Rodrigues. Afinal foi ele que disse: "Perdoa-me por me traíres".

2 comentários:

Gerson B disse...

HUHUAHUAUHAUHAHAHUHAHUA!!!

Orlando Tambosi disse...

Até o Itamaraty já era...