2009-09-29

A atração do Bizarro


Já faz um tempo que noto a preferência do público pelo que for bizarro, doente mental ou ignorante. Aparentemente não há limites na atração do público por seres absurdos. Só assim se explica que a Bruna Surfistinha seja campeã em vendas de livros; Michael Jackson riquíssimo campeão em vendas de discos com sua cara deformada por centenas de cirurgias plásticas e o Lula presidente de um país com 200 milhões de pessoas.

Não é relevante, mas só para relembrar: a Bruna Surfistinha é só uma vagabunda, o Michael Jackson é (era) um doente mental de carteirinha e o Lula um ignorante assumido.

O que atrai o público? A doença mental, a ignorância, o despudor mais bizarro. Nisso as três figuras coincidem: estariam certamente destinadas ao sucesso.

Agora, vamos falar da última do nosso bizarro Lula. Presidente do país mais poderoso da América Latina, curva-se ao tirano do menos poderoso: o moribundo Fidel Castro, de Cuba. Como este está mais pra lá do que pra cá, então Lula é obrigado a obedecer ao seu porta-voz e candidato a ditador-mor da Latinoamérica, o patético - e bizarro, claro - Hugo Chavez.

Claro... o que não seria ainda mais interessante do que apoiar outros ridículos, bizarros e ignorantes como Evo Morales e agora, Manuel Zelaya? Diversão garantida e uma fachada impermeável atrás da qual escondem-se esquemas de corrupção nunca antes imaginados na história destes países.

Assim, Lula empresta a Zelaya a embaixada do Brasil em Tegucigalpa para que este tente uma revolução nos moldes Chavistas no minúsculo país centroamericano. O golpe é de Zelaya mas a imprensa bananeira diz que Zelaya foi destituído por um golpe.

Se reporter brasileiro soubesse ler, veriam que até a Wikipedia explica que o golpe foi tentado por Zelaya, que queria se manter no poder de qualquer maneira, destruindo a constituição.

Mas reporter brasileiro não precisa ler. O negócio é vender jornais. Entretanto, os jornais só são vendidos exibindo o grotesco, ridículo e doente. Como o Lula, Chavez, Zelaya, Bruna Surfistinha e o cara da foto aí embaixo. O resto é perda de tempo e de espaço para anunciantes.

2 comentários:

pait disse...

Hoje, será que o Fidel manda no Chavez, ou é o Chavez que manda no Fidel? Numa democracia não faria diferença, mas Cuba é colônia de império defunto

Zappi disse...

É, Fritz, só mais um "twist" da bizarrice latina. Acho que tens razão, Chavez é candidato a chefe do irmão do Fidel, mas é súdito de Putin, a eminência parda soviética.

E mais bizarro que Mahmoud Ahmadinejad, que não se sabe se manda ou é mandado por Ali Khamenei? Que testa mísseis (russos ou chineses?) enquanto enriquece urânio tranquilamente para vender para a Coréia do Norte, governada por seu degenerado e glorioso imperador do horror?

Mundo bizarro.