2006-12-05

As mulheres e o progresso

“Hipátia (370-415 DC), filha de Theron, era uma cientista, matemática, astrônoma, líder da escola de filosofia neo-platônica e diretora da Biblioteca de Alexandria. Cirilo, o arcebispo de Alexandria, a odiava por ela ser um símbolo da ciência e da cultura que, para a igreja primitiva, representavam o paganismo. Ela continuou seu trabalho apesar das ameaças até que, no ano de 415, foi cercada pelos monges e paroquianos de Cirilo, despida e esfolada até a morte com cacos de cerâmica. Seus restos foram queimados, suas obras destruídas e Cirilo foi canonizado.”

Carl Sagan - Astrônomo e escritor americano,
1934-1996
Este simpático santinho católico deve ter iniciado a perseguição às "bruxas" pela igreja. Durante a idade média qualquer pretexto era bom para queimar mulheres vivas. A discriminiação completamente injusta contra as mulheres encontrou na igreja um magnífico e poderoso aliado e continuou por muitos séculos. Para dizer a verdade, todas as religiões conspiravam para mantê-la submissa e apagada. O tratamento dispensado a elas que vemos hoje no islamismo radical seria na idade média considerado algo muito razoável.

Como um desgraçado como Cirilo foi canonizado? E como, após reconhecer o crime que cometeu, a igreja não o excomungou? É porque ele estava defendendo algo que as religiões chamam de fé, ou seja, a creença em dogmas impossíveis de provar e que tem que ser defendidos até a morte. Isso porque qualquer um que use de uma terrível arma chamada "razão" destruiria esses dogmas rapidamente. Os "crimes de fé" ou heresias eram punidos com a morte enquanto a igreja reinava soberana espalhando o terror da inquisição.

“Pois é muito mais grave corromper a fé, da qual vem a vida da alma, que falsificar dinheiro, pelo qual a vida temporal é sustentada. Logo, se falsificadores e outros malfeitores são imediata e justamente executados pelos príncipes temporais, com muito mais justiça podem ser hereges, assim que denunciados, não apenas excomungados mas também mortos.”

Tomás de Aquino - Frade dominicano e teólogo italiano,
1225-1274


Em contraposição a esta ignorância crônica, as mulheres tem um motor interior impressionante: elas querem e fazem tudo o que está a seu alcance para que seus filhos melhorem. Bom, não vamos generalizar. Veja o que disse esta santa senhôra:


“A superpopulação não é um problema, é a vontade de Deus.”

Madre Teresa de Calcutá-Missionária albanesa,
1910-1997



Talvez madre Teresa simplesmente sofresse de excesso de honestidade: afinal se a igreja proíbe, em pleno século 21, simplesmente proíbe a camisinha e todos os métodos contraceptivos e se a palavra da igreja é a vontade de deus, este deve mesmo querer que morramos todos de fome, uns em cima dos outros. Madre Teresa só disse a verdade, candidamente. Lindo isso.

Voltando às mulheres normais... elas tem embutido dentro delas o progresso: elas empurram os filhos para frente, querem que estudem, consigam trabalho, se dêem bem. Talvez a redução à repressão contra as mulheres tenha ajudado o mundo a ir para a frente em velocidade descomunal nos séculos 19 e 20. Ainda há muito o que melhorar em pleno século 21, mas se compararmos com o início do século 20 quando mulheres não podiam votar, não podiam se separar, não podiam decidir o seu próprio futuro e eram tratadas como debilóides, a situação melhorou muito. Talvez estejamos mesmo progredindo.

3 comentários:

Anônimo disse...

Zappi, meu caro. Vc confunde fé com dogmas em seu texto. Aliás coloca-os como sinônimos. Li uma definição muito perspicaz sobre fé há poucos dias: "é a entrega amorosa ao que não pode ser explicado pela razão - É uma mistura de dom e de vontade".
Já os dogmas... Estes são invenções das religiões formais. Assim, é possível ter fé e não aceitar nenhum dogma.

Zappi disse...

Já corrigi o texto. Da forma como você coloca a fé é uma coisa útil e positiva. Entretanto a fé é uma das fontes dos problemas.

Só para exemplificar: que amorosa entrega é a fé que um suicida islâmico tem de que vai acabar rodeado de virgens no paraíso?

Saramar disse...

Zappi. bom dia.
Andei sumida por que estava em viagem e sem poder visitar os amigos.

Obrigada pela parte que toca neste seu interessante texto. Realmente, a igualdade feminina, ainda que incipiente em quase todo o mundo, pode ter sim sido fator da aceleração do progresso. Afinal de contas, as mulheres sempre foram excelentes administradoras e fazem tudo com uma luz viva chamada amor.
Quanto às religiões, minha opinião é que são a causa de inúmeras desgraças coletivas e incontáveis tragédias individuais. Para mim, elas foram inventadas pelo demônio para afastar o homem dos deuses, ao contrário do que seu nome significa.

beijos
P.S. Irei ler durante a semana, os textos anteriores, que perdi.