2006-12-12

Einstein

Dizer que Einstein era religioso é uma das mais propaladas mentiras a favor da religião. Einstein era ateu. Vejam estas cartas dirigidas a Einstein:

"Lamentamos terrivelmente a sua afirmação ... na qual o Sr. ridiculariza a idéia de um deus pessoal" Advogado trabalhando para uma coalisão ecumênica

"Einstein é inquestionávelmente um grande cientista mas suas visões religiosas são diametralmente opostas ao judaísmo" - Rabino de New York

"Nós respeitamos a sua sabedoria, Dr. Einstein; mas existe uma coisa que o Sr. parece não ter aprendido: que Deus é um espírito e não pode ser achado através do telescópio ou do microscópio, não mais do que o pensamento humano ou emoção podem ser achados analisando o cérebro. Como todo mundo sabe, religião é baseada em Fé, não conhecimento. Cada ser pensante, talvez, é assaltado de vez em quando por dúvidas religiosas. Minha própria fé trepidou mais de uma vez. Entretanto eu nunca disse a ninguém nada a respeito das minhas aberrações espirituais por duas razões: (1) eu temi que eu pudesse, por mera sugestão, perturbar e danificar a vida e esperança de um outro ser humano; (2) porque eu concordo com o escritor que disse "Existe um lado maldoso em qualquer um que destrói a fé de outra pessoa"... Eu espero, Dr. Einstein, que você não tenha dito o que foi publicado e que venha a dizer algo mais agradável para o vasto número de americanos que o respeitam." - Presidente de uma sociedade histórica em New Jersey

Se estas cartas não satisfazem, veja o que o próprio Einstein dizia sobre religião:

"É naturalmente uma mentira o que vocês leram sobre minhas convicções religiosas, uma mentira que é repetida sistematicamente. Eu não acredito em um deus pessoal e nunca neguei isso, mas o expressei claramente. Se algo em mim pode ser chamado religioso isso é a admiração sem limites pela estrutura do mundo da maneira que a ciência consegue revelá-la" - Albert Einstein


Não está satisfeito? Então veja esta:

"Eu sou profundamente não-religioso. Talvez isto seja uma nova espécie de religião.

Nunca imputei à natureza um sentido ou objetivo, ou qualquer coisa que poderia ser entendido por antropomórfico. O que eu vejo na natureza é uma estrutura magnífica que podemos compreender de maneira muito imperfeita e que deveria preencher uma pessoa inteligente com um sentimento de humildade. Esse é um sentimento religioso genuíno que não tem nada a ver com misticismo.

A idéia de um deus pessoal me é estranha e parece mesmo ingênua." - Albert Einstein

Qualquer um que diga que Einstein era religioso está simplesmente repetindo uma mentira. Ainda bem. Einstein chocou os religiosos em sua época tanto ou mais que Dawkins agora. Isso é muito bom sinal.

O fato de expressar a própria admiração pelo universo não tem absolutamente nada a ver com religião. A religião é mesquinha e pobre, proíbe e condena. Tortura e destrói. O mundo é livre e está ainda por ser descoberto. A cada nova descoberta os religiosos reclamaram e bateram o pé. Mataram e torturaram quem inovava. Todas as vezes perderam a razão, mas continuam insistindo em propagar atraso e discriminação.

4 comentários:

Anônimo disse...

Caro Paulo,
Não confunda as instituições religiosas que aglutinam seres humanos (com todas as suas limitações) com religião (re-ligar , re-conectar).
Você mesmo tem uma forma de se re-ligar , que é a ciência , da qual tambem eu me alimento.
Mas pense tambem em outras formas de " alimento" que tal : filosofia , arte e um pouquinho de religião

Zappi disse...

Caro anonymous,

Quem é que disse que arte e filosofia devem ser podadas? A palavra RELIGIÃO é profundamente mal utilizada, e é base para verdadeiras orgias de lavagem cerebral que tem conseqüencias negras e plenamente visíveis no mundo moderno.

A mentira não pode ser a base da conexão dos seres com seu ambiente. Pensar não pode ser proibido, e o é para seguidores de qualquer religião.

Quanto a arte, o que faz nesta discussão? Vivam a arte e o pensamento! Viva a discussão aberta e racional!

Jéssica disse...

Porque pensar tanto em religião, se Deus é tão simples? Tão amavel, tão amigo?

Anônimo disse...

ELE ERA DEÍSTA NÃO ATEU!!

“A opinião comum de que sou ateu repousa sobre grave erro. Quem a pretende deduzir de minhas teorias científicas não as entendeu.

Creio em um Deus pessoal e posso dizer que, nunca, em minha vida, cedi a uma ideologia atéia.

Não há oposição entre a ciência e a religião. Apenas há cientistas atrasados, que professam idéias que datam de 1880.

Aos dezoito anos, eu já considerava as teorias sobre o evolucionismo mecanicista e casualista como irremediavelmente antiquadas. No interior do átomo não reinam a harmonia e a regularidade que estes cientistas costumam pressupor. Nele se depreendem apenas leis prováveis, formuladas na base de estatísticas reformáveis. Ora, essa indeterminação, no plano da matéria, abre lugar à intervenção de uma causa, que produza o equilíbrio e a harmonia dessas reações dessemelhantes e contraditórias da matéria.

Há, porém, várias maneiras de se representar Deus.

*

Alguns o representam como o Deus mecânico, que intervém no mundo para modificar as leis da natureza e o curso dos acontecimentos. Querem pô-lo a seu serviço, por meio de fórmulas mágicas. É o Deus de certos primitivos, antigos ou modernos.
*

Outros o representam como o Deus jurídico, legislador e agente policial da moralidade, que impõe o medo e estabelece distâncias.
*

Outros, enfim, como o Deus interior, que dirige por dentro todas as coisas e que se revela aos homens no mais íntimo da consciência.”

* * * * *

“A mais bela e profunda emoção que se pode experimentar é a sensação do místico. Este é o semeador da verdadeira ciência. Aquele a quem seja estranha tal sensação, aquele que não mais possa devanear e ser empolgado pelo encantamento, não passa, em verdade, de um morto.

Saber que realmente existe aquilo que é impenetrável a nós, e que se manifesta como a mais alta das sabedorias e a mais radiosa das belezas, que as nossas faculdades embotadas só podem entender em suas formas mais primitivas, esse conhecimento, esse sentimento está no centro mesmo da verdadeira religiosidade.

A experiência cósmica religiosa é a mais forte e a mais lie fonte de pesquisa científica.

Minha religião consiste em humilde admiração do espírito superior e ilimitado que se revela nos menores detalhes que podemos perceber em nossos espíritos frágeis e incertos. Essa convicção, profundamente emocional na presença de um poder racionalmente superior, que se revela no incompreensível universo, é a idéias que faço de Deus.”

ALBERT EINSTEIN (1879-1955)