2009-05-02

Destruindo mitos

É realmente inacreditável a quantidade de vezes que se diz na mídia que o mundo está aquecendo perigosamente por causa das emissões humanas de dióxido de carbono.

Gráficos de reconstruções de temperaturas passadas são exibidos exaustivamente para tentar provar que jamais esteve tão quente nos últimos 1000 anos.

Não esteve mesmo? Notei que em todas as apresentações dos alarmistas faltava um gráfico, um crucial gráfico que mostra claramente como o clima terrestre varia naturalmente. É a reconstrução de temperatura dos últimos 20.000 anos.

Por que este gráfico é importante? Porque destrói completamente a tese de que há um aquecimento perigoso e inédito acontecendo agora mesmo no mundo. Tomei a reconstrução de temperaturas a partir dos núcleos de gelo da base Vostok na Antártida e a confrontei com as medições de temperaturas dos últimos 30 anos. O resultado é este gráfico:



Como vemos aqui, o tal do "aquecimento global" desaparece totalmente no meio das imensas variações NATURAIS do clima terrestre. Para quem não sabe, 17.000 anos atrás o mundo estava imerso em uma era do gelo - que é a condição normal da Terra nos últimos milhões de anos. Muito mais curtos são os períodos "interglaciais" como o que vivemos agora.

O clima varia naturalmente e o clima varia muito. A única coisa que se pode dizer sobre o clima recente é que está surpreendentemente estável. Nada mais.

Quem sabe os xiliquentos do aquecimento global encontram outra razão qualquer para se preocuparem e param de tentar arruinar a economia com seus impostos ao carbono. Vai uma sugestão: que tal se preocuparem com a gripe dos porcos?

3 comentários:

pait disse...

Ainda acho que v. não está usando completamente seus talentos de engenheiro. A variável importante não é temperatura. Existem sistemas naturais que medem a temperatura média dos últimos anos, e produzem outras variáveis. Exemplo: as florestas morrendo nas montanhas rochosas por causa da proliferação de besouros do sul aos quias as árvores não estão adaptadas. Claro que daqui a 500 anos vão nascer outras árvores - mas na nossa escala de tempo as consequências do aquecimento são rápidas demais.

pait disse...

Esqueci de insistir: a diminuição do consumo de combustíveis fósseis teria custo muito baixo, se não for negativo. Carros menores e mais eficientes, andar um pouco a pé, diminuir o aquecimento e ar condicionado, tudo isso faria bem para a saúde dos americanos e diminuiria a necessidade de gastos militares para se defender dos seus "amigos", Chavez, Putin, salafistas, e aiatolás. O mesmo vale para australianos e europeus em menor grau. O pessoal que é contra impostos verdes são os maiores aliados dos extremistas religiosos.........

Zappi disse...

Hey Fritz!!

A variável importante é a temperatura sim, senhor. Se não pudermos medir a variação de temperatura isso implica que o efeito estufa causado pelo aumento do dióxido de carbono na atmosfera não é significativo ou perigoso.

Os besouros podem ter uma infinidade de outras causas, como caminhoneiros vindos do México (tudo que é problema nos Estados Unidos vem do Mexico...)

Se a diminuição do consumo de combustíveis tivesse um custo negativo, já teria sido adotada. As vantagens sociais de se dirigir SUV's devem ser maiores do que a economia gerada por se dirigir micro-carros. Se não fosse assim, todo mundo dirigiria micro-carros.

Agora, se você quiser deixar de consumir petróleo para danificar as economias do Irã e da Venezuela, isso já é outra coisa. Qual a relação dessa outra atividade com o aquecimento global??? Não seria aí o aquecimento global um (mau) pretexto para uma ação de boicote?

Um abraço