2006-08-24

Um encontro inusitado com uma sapa verde



Só percebemos como alguém é de verdade quando olhamos de perto. Os farsantes são capazes de manter uma cortina a seu redor que é quase imperscrutável. Mas quando estamos perto, físicamente próximos, torna-se muito mais difícil manter a blindagem. A cortina passa a ser de fumaça e conseguimos vislumbrar quais os princípios que os comandam.

Era de manhã cedo. Tinha que tomar um vôo que sairia às 6:30. Meio zonzo, tomei um café em um modernista aeroporto de Congonhas. Saio para passear pelos corredores para espantar o sono. Estava andando e quase fui atropelado por uma mulher que apareceu do nada e veio em minha direção, rápida. Toc toc toc toc... em seus saltos altos. Ela era baixinha, feia, e vestia um tailleurzinho verde. Era extremamente antipática. Começo a rir, e penso: " De onde vem a arrogância dessa Sapa Verde? Pronto, sem querer a batizara mentalmente. Assim como apareceu, foi embora, apressada, para algum destino que não me interessava.

Olhei meu relógio e decidi entrar na sala de embarque. Congonhas era uma beleza... na sala de embarque serviam café, suco e canapés de graça. Se eu tivesse sabido não teria pago aquele café que insistia em não me acordar totalmente... Tento entrar, mas havia um senhor passando pelo detetor de metais. Ele olhou para mim, e nesse momento tive certeza de conhecê-lo... com certeza já o havia visto. Seria o pai de algum colega? Por via das dúvidas o cumprimentei e ele retribuiu sorrindo, afável. Com certeza devia ser um pai de algum colega... não não, era um político. Franco Montoro! Passei pelo detetor e comecei a olhar ao redor. Esta sala estava interessante. Encontrei outro conhecido sentado, quietinho, com óculos escuros em um canto. Parecia um ceguinho... era o Gabeira!

Finalmente vou ao balcão pedir um suco de laranja. Enquanto bebia, posta-se a meu lado... a Sapa Verde! Não, ela não tinha morrido. Estava lá gritando e balbuciando coisas ininteligíveis, falando com um cara. Como eu já não tinha gostado dela olhei para o outro lado, mas os seus gritos escandalosos e meio descontrolados me obrigaram a ouvir o que dizia.

"Mas veja você as eleições para governador... O Maluf... quem é que vai votar nele, não é mesmo? O Covas... esse é carta fora do baralho... só sobra eu, só tem eu para governadora!!!!"

Inicialmente pensei que era algum desses trotes, essas pegadinhas que se fazem com os pobres diabos que estão indo trabalhar de manhã cedo. Sapa verde? Governadora? Só se for de algum estado Angolano... Olhei novamente, intrigado. Ela seria uma sósia da... não, era ela mesma, a Marta dos Suplícios.

Pensei como ela era diferente na telinha e como, de manhã cedo e de perto, tinha perdido a maior parte de seu escudo protetor. A mulher esbanjava arrogância, antipatia. Era uma verdadeira grossa. E continuava gritando, lá mesmo, na sala de embarque cheia de gente.

O seu interlocutor era um homem gordo de fala mansa. Publicitário, na certa. Devia estar treinando a Suplício para debates... ele diz, com voz grossa, macia:

"Bom, Marta, vamos mudar de assunto... como é mesmo essa história, o que aconteceu com a Erundina no PT?"

Agora eu tinha ficado interessado. Esse assunto era nebuloso e a Marta já havia dito que ela tinha empurrado a Erundina para fora porque não podia haver duas mulheres fortes no partido, algo assim. Vamos ver o que respondia agora, na minha frente. Para minha surpresa, começa a gaguejar descontroladamente:

"Ga ga gggga..."

Não podia acreditar: ali mesmo, do meu lado, estava uma mulher que iria disputar o cargo de governador do maior estado do Brasil, e gaguejava como uma colegial quando alguém dizia o nome "Erundina". Sem contar que a sua atitude e postura eram muito aquém do mínimo que qualquer um poderia esperar para um candidato a síndico. Ela gritava como uma histérica. A sua sede de poder era escancarada, quase obscena. Fiquei enojado.

O que faz com que alguém vote em gente desse nível? Vejam só a passividade de boi manso do ex-marido dela. É óbviamente um tonto que qualquer um leva pelo nariz. Gagueja continuamente, tem algum problema neurológico irreversível que afeta há muito suas faculdades mentais. Este cara, muitos anos depois do meu encontro na sala de embarque, vai ainda ser eleito para o senado. Se alguém acha que exagero, olhem este vídeo:



Concordo, é impressionante mesmo. Ou é demente ou é farsante. Inclino-me para a primeira alternativa... O detalhezinho da Sapa Verde abotoando o casaco é demais: aposto que o psicólogo dela recomendou fazer isso quando o seu ex começa a falar imbecilidades, para não sair do sério. Mas o que me deixou ainda mais enojado foi como a Sapa beijou o Suplício, beijo desses de cinema, no horário nobre na Globo, na cobertura da festa de encerramento da campanha do PT para a prefeitura de São Paulo. Pensei, tontamente, "acho que ela gosta dele..." Enganei-me de novo. Beijou mas já estava com outro, todo mundo sabia. O problema na testa já havia começado e ela usou o problemático para transmitir uma farsa, uma imagem de esposa amorosa. Foi eleita para a prefeitura.

Depois de ser enganados na prefeitura fomos enganados na Presidência, por alguém que escreve assim:



Eu me pergunto quais serão afinal as características que os brasileiros acham que seus governantes devem possuir?

O Covas, que a Sapa Verde chamou de "carta fora do baralho" acabou ganhando as eleições para governador. Pelo menos dessa vez pude dizer: "Ainda bem."



5 comentários:

Tambosi disse...

Caramba, Zappi,

lendo seu relato senti os engulhos que você sentiu.Mas você estava no lugar certo: indo embora. Isto aqui é mesmo um carro de boi (acho que não exagerei,no post, principalmente se a gente considerar a mentalidade bananeira).
Isso aqui não tem jeito mesmo. Como explicar um continente deste com um PIB mendigo?

Abs.

Anônimo disse...

Ah, vc queria um comentário Petralha, hem? Então aí vai: Vcs tucanófilos são uns viados, chifrudos que querem voltar ao poder para continuar com aquele governinho de merda, voltado para os ricos e poderosos. Não vão levar! O nosso Grande Lula vai continuar para SEMPRE e depois vai deixar o Lulinha lá!!!! Ah,ah,ah,ah,ah!!!!!

Zappi disse...

Interessante seu comentário, caro anônimo. O que não deu para entender a partir do seu post é quanto o PT lhe paga para postar essas besteiras.

Anônimo disse...

o petralha ganha um lanchinho....uauaaauauah

Frodo Balseiro disse...

Pô cara muito bom!Há muito tempo a "Sapa Verde" desperta em mim os mais baixos instintos. Que pessoa mais arrogante, pernóstica, antipática! Tem o jeitinho nojento de menininha criada pela avó.
Se continuar a aparecer em público apoiando o Lulla, porem, vai ajudar, seu jeito pedante só tira voto do Mollusco Apedeuta.