2008-12-05

O nível dos mares

Mais uma "verdade inconveniente". Uma previsão catastrofista muito popular é a que garante que o "aquecimento global" vai derreter o gelo nas regiões frias da terra e esta água vai dar nos mares, causando um catastrófico aumento no nível do mar.

Em tese isto é possível. O mar em outras épocas esteve mais de 100 metros mais "cheio" do que está agora. Não é necessário dizer que a maior parte das áreas costeiras densamente povoadas do mundo já estiveram submersas sob muitas dezenas de metros de água.

Mas, será que o mar está subindo? E, mais importante do que isso, será que o nível dos mares está subindo de maneira catastrófica?

Medir o nível do mar com precisão é muito difícil. No mar há ondas e marés que naturalmente fazem o nível do mar flutuar alguns metros pelo menos de um dia para o outro. Alterações na pressão do ar contribuem para esta variação ser ainda maior. É portanto difícil medir o nível do mar com a precisão necessára para constatar um aumento (ou diminuição) no nível do mar de um ano para o outro. A precisão necessária é de menos de um milímetro!!

Entretanto, o engenho humano nunca deve ser subestimado. Os cientistas foram capazes de medir alterações de longo prazo no nível dos mares e constataram que no período de 1900 a 2000, ou seja, em 100 anos, o nível do mar subiu 20 centímetros. Este resultado provém de medições em áreas costeiras, e não é fácil medir com precisão o que aconteceu antes disso, mas as evidências indicam que no século anterior, de 1800 a 1900, houve um aumento similar no nível dos mares. Como nesse século as emissões de dióxido de carbono não teriam feito diferença, depreende-se que este aumento no nível do mar é totalmente natural.

Pensemos um pouco no que significa este aumento no nível do mar. Vinte centímetros (um palmo) em 100 anos correspondem a aproximadamente 2 milímetros por ano de aumento. Isto significa que, se permanecer nesse ritmo, o nível do mar subiria um metro em 500 anos ou 5 séculos! Não há nada de catastrófico nisso: em 5 séculos as populações que vivem muito perto de rios ou praias terão bastante tempo para se mudar!

Não contentes com isso, alguns catastrofistas continuaram insistindo com uma nova tese de inundação bíblica das áreas costeiras. Segundo eles o ritmo de aumento do nível do mar aumentou muitíssimo no fim do século vinte, sempre devido à atividade fervilhante daquela espécie nefasta, o Homo sapiens.

Dada a dificuldade extrema destas medições, não havia como comprovar ou negar a tese dos eco-louco-catastróficos. Até que...

Novamente os cientistas surpreenderam. Com medições altimétricas feitas por reflexão de radar nos mares a partir de satélites, conseguiu-se monitorar em tempo quase real o nível dos mares, e com uma precisão inacreditável de 3 a 4 mm. Os resultados estão disponíveis ao público neste site da Universidade de Colorado. Tomei os dados de lá e fiz um gráfico tomando a média dos últimos 2 anos para facilitar a visualização. Vejam o resultado:

(clique na figura para ampliar)

De 1994 a 2004 (10 anos) o nível do mar subiu 3 centímetros, o que equivale a apenas 3 milímetros por ano. Mas o mais interessante é que a velocidade de subida diminuiu a partir de 2004. Nos últimos dois anos o nível do mar praticamente não subiu nada.

Tres centímetros, o que o mar subiu em 10 anos





Bom, 3 milímetros por ano é uma velocidade de tartaruga, realmente. Fariam falta 300 anos para que os mares subissem um único metro. A variação devido às marés e ondas e tempestades é muito maior que isso!

A conclusão que tiro de toda essa parafernália de besteiras que são divulgadas na mídia é que de certa maneira vivemos uma idade das trevas. Os jornalistas não são capazes de entender medições físicas, não sabem o que é um centímetro ou um milímetro. Daí vem com histórias absurdas de que o mar vai inundar o planeta. Que papel ridículo fazem!

Quem se importa? Quando os idiotas falam, podem dizer o que lhes dá na veneta. Ninguém vai cobrar deles depois. O nível dos mares pode estar subindo devagar, mas o nível mental cai vertiginosamente.

6 comentários:

Eduardo Bernasconi disse...

As massas encefálicas estão cheias de água!

Fendel disse...

Diria que não é água que se encontra nas massas encefálicas...
Diria que é estrume...

Zappi disse...

Massas encefálicas "orgânicas".

Ielpo disse...

"...atividade fervilhante daquela espécie nefasta, o Homo sapiens"

Cada vez tenho mais e mais dúvidas se esta classificação está correta...

"sapiens"?????

Abs

tunico disse...

Paulo, ponha mais uma variável na equação.
Como já disse Einstein, tudo é relativo. A crosta terrestre literalmente flutua sobre o magma e sua densidade é pelo menos 4 vezes maior que a água.

Assim: Será que o mar subiu ou a crosta desceu?

thomas disse...

Acho que o QI dos jornalistas tambêm aumenta e diminue entre as gerações, como as marés.

A maré está baixa agora...

Qual seria o proposito de tamanho "catastrofismo" propagado aos quatro ventos hoje em dia?

Será que tem alguêm lucrando com isso tudo?