2007-04-20

Cadáveres do descaso - 2

Recebi diversos comentários sobre o "assassinômetro" que coloquei no meu blog e que o Tambosi também colocou no seu. Algumas pessoas não acreditam nos números, dizem que não pode ser que haja tantos assassinatos, e por aí vai.

Eu não estou pedindo para ninguém acreditar em mim. Os dados são do IBGE. No Brasil morrem assassinadas umas 50 mil pessoas por ano. No "assassinômetro" há dados desde 1980, ou seja dos últimos 27 anos. Se a média fosse 50 mil por ano haveria mais de um milhão de mortos (27 x 50 mil = 1,35 milhão). O que acontece é que as taxas de violência eram muito menores nos anos 80 e desde então só foram mortas 900 e tantas mil pessoas. Veja neste site do SUS. Para facilitar a vida do leitor, veja as estatísticas recentes. Estas mortes consideram só causas violentas:
Óbitos p/Residênc segundo Ano do Óbito
Grande Grupo CID10: X85-Y09 Agressões, Y10-Y34 Eventos cuja intenção é indeterminada, Y35-Y36 Intervenções legais e operações de guerra, Y85-Y89 Seqüelas de causas externas
Período: 2002-2004
Fonte: MS/SVS/DASIS - Sistema de Informações sobre Mortalidade - SIM
AnoMortes
200262.661
200362.914
200460.770

Há outras maneiras de calcular o número de assassinatos. As estatísticas mais otimistas falam em 23 assassinatos por ano por grupo de 100.000 habitantes. As pessimistas falam em 36 assassinatos por ano por grupo de 100.000 habitantes. Os resultados variam entre 41.000 e 64.000 mortos por ano. Entretanto os dados do IBGE são oficiais.

É difícil entender estatísticas, e os assassinatos normalmente envolvem gente pobre que mora na periferia. O que é importante saber é que no Brasil se mata tanta gente que estão sobrando mulheres. Isso mesmo: a maior parte das vítimas é de homens jovens e isso está fazendo com que a proporção de mulheres na população geral aumente.

Só para finalizar vou contar uma historinha de quando eu estava no Brasil. Eu trabalhava em um edifício que tinha uns 12 funcionários entre porteiros, vigias e garagistas. Imagino que cada um desses funcionários tinha uma família de, digamos, 10 pessoas, contando companheira e filhos. Estamos portanto falando de um universo de 120 pessoas que moravam na periferia. Pois bem, em um ano, acho que foi 2002, o filho de um funcionário foi assassinado, e a mulher de outro também. Nos dois casos os funcionários tiveram que se mudar, pois os bandidos os ameaçaram de morte se continuassem morando onde moravam. Razões para os assassinatos? As mais idiotas: o filho do porteiro se meteu com uma turma de marginais e a mulher do outro foi vender yakult em um quarteirão que era território da mulher de um bandido.

Pois bem, se considerássemos este universo de 120 pessoas que vivem na periferia de S.Paulo, 2 mortes em um ano significariam uma taxa de assassinatos de, pasmem, 1700 mortos por ano por 100.000 habitantes!

Naturalmente os resultados deste pequeno exemplo não são estatísticamente significativos, dado que o grupo de 120 pessoas que usei como universo não é grande o suficiente. Os assassinatos estão aí, entretanto, para quem quiser ver. Quem não quer acreditar, que não acredite.

Para usar o reloginho em seu blog, basta copiar e colar no blog o seguinte código. A atualização ocorre cada vez que se carrega a página:

<iframe src="http://zappitec.com.br/we751ab/strangemansparadise/murders.php" frameborder="0" height="140" scrolling="no" width="230"></iframe>


6 comentários:

Bira disse...

Fiz um comentario a respeito para os grandes jornais, ninguem publicou.

Eduardo Bernasconi disse...

Durante a década de 90 O Jornal da Tarde publicava um quadro com os números da violência.
Esta publicação foi proibida pelo governo. Vou procurar mais informações, mas lembro que era uma tabela com a quantidade de crimes atualizada diariamente.
Muita gente não gosta de simples tabelinhas com números!

Müller disse...

Oi

Este contador de assassinatos consta no site do IBGE, sendo atualizado por ele constantemente?

Publiquei num forum europeu e estou sendo cobrado sobre a fonte deste contador.

Zappi disse...

Está baseado em um report do IBGE de 2004 cujas conclusões em forma resumida constam em:
aqui.
O original encontra-se aqui.
Estou assumindo 50 mil assassinatos por ano, um número menor do que o reportado nos últimos 3 anos pelo SUS (com dados do IBGE) que foi de mais de 60 mil em 2004 (pode ser obtido aqui).

O acréscimo de "cadáveres" se dá baseado no tempo transcorrido, para completar os 50 mil por ano, ou aproximadamente 1000 por semana.

É uma estimativa otimista. A realidade, infelizmente, é ainda pior.

Müller disse...

Então o relógio-contador é seu? Não é atualizado pelo IBGE ou alguma instituicão governamental?

Desculpe ser meio confuso para mim.

Quero poder afirmar e provar o que digo neste forum europeu que, devo dizer, é esquerdofrênico.

Obrigado.

Zappi disse...

Olá Müller,

Esquerdofrênico é uma ótima palavra!

Sim, o contador é meu, a fórmula utilizada é:

910201 + 137 / dia a partir de 8 de Abril.

Isto está baseado em 50 mil assassinatos por ano, mas o número é maior, segundo o próprio IBGE. Esta estimativa é portanto otimista.

Qual o endereço do forum? Eu posso explicar para os esquerdófilos a metodologia.

Só no primeiro mandato do Lula foram assassinados 200 mil brasileiros. Na Venezuela as taxas de assassinato estão subindo às alturas, da ordem de 37 / 100 mil por ano, em vez de melhorar com a "revolução" de Chavez está aumentando.

Obrigado pela visita

Zappi