2008-04-03

Dilma, a inocente

Sobre essa respeitável senhôra aí da foto Lula disse:

"Não posso ter um milésimo de suspeita contra a ministra, porque a conheço, sei da história dela e do serviço que ela presta ao país"
Maloqueiro-mór


Não é o que diz Rodrigo Constantino em seu excelente blog:

"Ora, é justamente por conhecer a história da ministra que todos devem suspeitar – e muito – dela. Nos tempos da ditadura militar, a "companheira Estella" foi uma das que planejou o roubo do cofre de Adhemar de Barros, ex-governador de São Paulo. O crime foi praticado pela VAR-Palmares, grupo revolucionário fruto da fusão entre a Vanguarda Popular Revolucionária, de Carlos Lamarca, com o Colina, grupo que tinha "Estella" como líder. Em 1969, treze guerrilheiros da VAR-Palmares roubaram o cofre de uma casa no bairro carioca Santa Tereza, onde viva a amante de Adhemar. Os assaltantes teriam levado US$ 2,6 milhões na operação. Dilma, a então "companheira Estella", teria organizado pelo menos três ações de roubo de armamentos em unidades do Exército no Rio de Janeiro, somente em 1969. Ela jamais pediu desculpas por seus atos. Com um currículo desses, é ou não para suspeitar da ministra?"

Leia mais aqui.

Como já disse o próprio Maloqueiro-mór: "Mexer com bandido não dá certo". Para se justificar ele também poderia dizer "Eu não sabia que Dilma era ladra".

4 comentários:

pait disse...

Ladrão que rouba ladrão tem 100 anos de perdão. Sei lá, roubar o cofre do A. de Barros foi a melhor coisa que esse povo fez. Nem sei se tecnicamente foi um crime - pelo que lembro o Sr A. de Barros não deu queixa na polícia, porque o dinheiro que ele tinha no cofre era roubado....

Zappi disse...

Fritz, então temos que nos organizar e ir roubar o cofre da Lurian. Ela não vai dar queixa na polícia, mas capaz que nos denuncia ao PCC!

pait disse...

Peraí, eu até admiro o que ela fez, mas não tenho vocação nenhuma.....

Zappi disse...

See what I mean? A vocação dela continua intacta.