2009-10-05

O maior dos presentes

Ganhei um fantástico presente. Herdei uma biblioteca. Mas não é uma biblioteca pequenina não. É uma biblioteca com mais de um milhão de volumes!

Ainda não me refiz do susto. Como foi que eu fui escolhido para receber essa magnífica herança se nem conheço o meu benfeitor? E como vou fazer para começar a ler os meus livros, tantos livros, que são somente meus e estão todos ao alcance dos meus dedos?

Não termina aí a minha imensa sorte. Acontece que meu benfeitor também era muito organizado. Os livros estão catalogados em índices por assunto, autor e palavras de referência. Não há como perdê-los na imensidade das infindáveis estantes. Tudo isso para mim.

E o custo de manter estes volumes em ordem? Alguns livros tem mais de 300 anos! Até nisso o meu benfeitor pensou. Está tudo pago enquanto eu viver. Os restauradores, o ar condicionado, um batalhão de especialistas trabalhando para mim.

Comecei a explorar a minha livraria. Procurei "Química", que é um assunto de que gosto. Lá estão as obras originais, nas primeiras edições de Berthelot, Lavoisier, von Liebig. Livros raríssimos! Não serei capaz de explorar completamente os livros de química nos anos de vida que me restam. Isso sem contar todos os outros assuntos, científicos, livros de arte, literatura, arquitetura, música, engenharia...

E por que eu? O que eu fiz de especial para ganhar este presente?


Bom, na verdade eu ganhei os livros porque gosto de ler. A maior parte das pessoas jamais vai vê-los, mas aquele que gostar de livros como eu gosto pode ganhar uma biblioteca igualzinha. Como?

Ora, é só clicar aqui. Open Library é parte de um monumental projeto de digitalização de todos os livros que a humanidade já escreveu. Se quiserem baixá-los convém fazê-lo no formato .djvu (dejàVu) que tem um programa leitor grátis. Podem também ser lidos on-line. Isto é só uma amostra do que vem pela frente. É uma revolução como nunca houve na história da humanidade.

Nunca tantos livros foram tão acessíveis. Os livros raros nunca mais serão raros. A parte difícil é encontrar alguém que goste de ler, especialmente no Brasil. Se você for um deles, fique grato pelo gigantesco presente que você acaba de receber e passe adiante! Divirta-se!

4 comentários:

CESAR CRUZ disse...

Pois é, Paulo... o problema é esse mesmo. Quem gosta de ler? Poucos, poucos... já posso até ouvir os meus passos ecoando pelos imensos (e vazios) salões desta biblioteca incrível e abandonada.

abç

Orlando Tambosi disse...

Boa dica, Zappi.

Abs.

Paulo Roberto disse...

Fantastico, Zappi!
Baixei "My Airships", de Alberto Santos=Dumont, ele mesmo!
Pena que "O que eu vi, o que nós veremos", dele também, não está disponivel.

Zappi disse...

Bom, né? Estou usando quase todos os dias. Se você quiser que algum livro antigo seja escaneado você pode se logar e pedir. Nunca fiz, mas parece fácil.