2006-11-12

Insônia e scones

Meu pai dizia que sofria de insônia. Eu nunca sabia se ele estava brincando. É que eu nunca conheci alguém que tivesse tal facilidade para dormir. Quando estava cansado, acomodava-se, e em menos de um minuto estava dormindo. Era incrível ele dizer que tinha algum problema de sono...

Não me continha e perguntava, rindo:

"Insônia, você?"

"Todas as manhãs acordo às 5 da manhã e não consigo voltar a dormir."

"Mas a que horas você vai dormir?"

"Às dez."

"Por que não vai dormir mais tarde?"

"Não consigo. Às dez já estou cansado e quero dormir."

Não posso chamar de insônia o que meu pai tinha. Ele ia dormir com os passarinhos e com eles acordava. Nas manhãs silenciosas, ouvia-se muitas vezes o canto dos sabiás. Meu pai aproveitava esse horário especial para ler, estudar, fazer café da manhã, planejar o dia. Ele costumava fazer scones, que eu comia ainda quentinhos no café. Sempre ajustava o método, cada vez os fazia mais depressa e melhor. Modificava as proporções dos ingredientes, sempre experimentando... Coisa de químico...

Quando me mudei para a Austrália, quase em choque notei que há scones em quase todos os cafés. Claro, é uma receita inglesa. Nenhum, naturalmente, tinha o sabor dos do meu pai. Uma tarde, quando não havia ninguém em casa, decidi fazê-los, de acordo com a receita original que eu tinha daquela época, mais de 20 anos atrás. Até que não foi tão difícil... estes tem um sabor mais parecido, mas ainda falta algo. Meu pai sempre dizia que é necessário fazer a mesma receita 4 ou 5 vezes para realmente ter controle do que está acontecendo.

"Mesmo que a gente acerte na primeira, antes de repetir várias vezes não sabemos nada."

Fiz um café, enquanto saboreava os scones sozinho, pensativo. Um pássaro começa a cantar. Soava quase igual a um sabiá. Aqui em Melbourne? Era um "Blackbird" (Turdus merula), um pássaro europeu que é parente próximo do brasileiro (Turdus rufiventris). Os blackbirds entretanto não cantam só de madrugada, cantam o dia inteiro.

Fiquei quieto por um momento. Misteriosamente fui levado àquelas manhãs silenciosas de tanto tempo atrás. Eu saboreava cuidadosamente esse instante.

"Preciso aperfeiçoar os meus scones" - pensei.

3 comentários:

Julia disse...

Zappi,decididamente a cada vez penso que devemos nos conhecer hehehehehehehehehehehehehehehehehehehehehe talvez sejamos "irmãos(as)astrologicas(as)? OU nos conhecemos em outra dimensão?

Tenha certeza não sei NAAADAA hehehehehe talvez os ABORIGENOS ("Arborigenos" da minha autoria heheheheheheh relacionado as ARVORES E NATUREZA hehehehehe)Calma estou somente HIPERCANSADA apos um super aperitivo, antes de jantar algo hiper calorico cheio de ingredientes quimicos pra ser conservados preparados e em congelador heehehehehehe apropriado as ocasiões de GRANDEEE STREEESSS hehehehehehehehehe de tanto pacotes pra levar pro outro appart.,o cansaço sadio, daqueles onde se tem conciencia de ter feito bastante esforço em todos sentidos,mas sabendo o quanto é bom trocar de appart.faz bem pra tuuudooooo!!!!

Atualmente não tenho tido tempo pra naaadaaaaa,mas este post me fez descoonnntraiiiiiiiir os neuronios heheheheheheheheheheheheh

Os scones sempre tenho no café do week-end por questões de racionalizar as caloriasssssss hehehehehe ao mesmo tempo me faz pensar nos Cannelés especialidade de Bordeaux.

Imagino seu pai quando dizia ser nescessario fazer a mesma receita 4 ou 5 vezes pra que a receita seja controlada nos detalhes e é o que acontece com a receita dos cannelés, porque a forma, deve ser imperativamente de cobre, alem da dosage dos ingredientes que da o resultado exterior, caramelizado com folhas de ouro, espalhado em desordem e o interior, macio consistente, com leve sabor de anis.

Aqui em Paris tem a venda em boutique de luxo,mas é como o "denorex"heheheheheh parece mas não é como o cannelés feito em Bordeuax.

Imagino, deve ser igual a comparação do sabor dos scones,sempre compramos em supermecados, mesmo sendo supermecados de produtos mais refinados,com certeza os scones caseiros deve ser bem melhor mesmo"imperfeito"em algum momento.

O passaro sempre vejo igual por estes lados mas não sei qual nome da especie,mas apos o relax da troca de appart.que sera neste week-end,vou pensar novamente neste passaro da photo.

As madrugadas de falta de sono esta na atualidade da minha existencia,como se meu relogio cerebral esteja em decalage horaire, regulado ao horario do pais de nascimento,mas o cansaço sadio de tanto ter feito pacotes, tem me dado esperanças que a normalidade do relogio, esteja de volta.

Zappi, obrigado por este post tão descontraido.

Abrs

Cristal disse...

Zappi,obrigada por esse lindo e emocionante post!
Deus esteja sempre contigo!!!!!!!!

Claudia disse...

Zappi, pena que eles não existam por aqui. Mande a receita, quem sabe eu acerto (e deixo de contrabandear de Londres)!
Beijos