2008-03-21

Funeral sem abutres

Arthur C. Clarke morreu nesta semana, depois de longa e prolífica vida. O famoso escritor de ficção científica, que uma vez denegriu a religião dizendo que era "um mal necessário na infância de nossa espécie", deixou instruções escritas sobre como queria que seu funeral fosse completamente secular, segundo seus assistentes.

"Absolutamente nenhum rito religioso de nenhum tipo, relacionado a nenhuma fé, deve ser associado ao meu funeral", escreveu.

Arthur não queria ninguém em seu funeral que tivesse como hábito alimentar-se dos mortos. Nada mais justo.

4 comentários:

Gerson B disse...

Mas HÁ um ser espiritual supremo. Eu acredito em Vanamonde.

Seu herege!

Que ele suba ao céu (ou à Rama) ao som de Deodato (Assim Falou Zaratustra)!

MARIO GENTIL COSTA disse...

ZAPPI, UM DOS MELHORES LIVROS DE CLARKE É POUCO CONHECIDO E SE CHAMA 'PERFIL DO FUTURO'. GUARDO-O COMO REFERÊNCIA. NÃO É FICÇÃO; É PROFECIA DA MAIS PURA, POIS FEITA COM OS OLHOS DA RAZÃO DE UMA INTELIGÊNCIA ACIMA DA MÉDIA VIGENTE, EXERCIDA COM OS PÉS NO CHÃO. SUAS PREVISÕES CHEGAM A EMOCIONAR PELA PRECISÃO COM QUE SE CUMPRIRAM. ISSO TUDO, SOMADO A SEU REPÚDIO AO SOBRENATURAL E SUAS DETERMINAÇÕES PRÉ-PÓSTUMAS DE RECHAÇAR QUALQUER RITUAL RELIGIOSO EM SEU VELÓRIO, É MAIS QUE O SUFICIENTE PARA QUALIFICÁ-LO COMO UMA DAS MENTES MAIS LÚCIDAS E INDEPENDENTES DO NOSSO TEMPO. GRANDE ARTHUR C. CLARKE! ABRAÇO. MaGenCo

Zappi disse...

Mas, Gerson, porque será então que Clarke não pediu para encomendarem sua alma a Vanamonde?

Eu não li "The City and the Stars" mas vou ler!

Gerson B disse...

Ele pode ter optado por seguir a filosofia de Lys e aceitar a mortalidade.

Mas quem garante que ele não entrou no Monolito?

E esse livro é muito bom. Não é o melhor dele, mas vale a pena ler.

Só recentemente soube na Wikipedia que tem uma versão anterior desse livro, é um remake.