2008-03-03

Tentando salvar um aloprado

Acho que o Reinaldo Azevedo pirou de vez. Não vai ser o primeiro nem o último que fica maluco tentando defender teorias religiosas. O mais interessante é quando ele tenta corroborar as suas teses, baseadas nos ditames da religião cujo Papa foi contra o perdão a Galileu, utilizando declarações de cientistas. Isso me faz lembrar da própria Igreja Católica, interessada em usar a ciência para provar a autenticidade do "Santo Sudário" para depois ficar totalmente desinteressada quando os métodos científicos provaram que era só mais uma fraude tôsca usada para enganar fiéis. Aqui, por exemplo, ele se finge de amigo de Mayana Zatz para usar o que ela disse para corroborar a sua tese... baseada em dogmas primitivos. Vejam este trecho (em vermelho):

Leiam o que ela diz: “(...) é preciso que se entenda a diferença entre aborto e pesquisa com células-tronco embrionárias. No aborto, há uma vida dentro do útero de uma mulher. Se não houver intervenção humana, essa vida continuará. Já na reprodução assistida, é exatamente o contrário: não houve fertilização natural. Quem procura as clínicas de fertilização são os casais que não conseguem procriar pelo método convencional. Só há junção do espermatozóide com o óvulo por intervenção humana. E, novamente, não haverá vida se não houver uma intervenção humana para colocar o embrião no útero.” O trecho que assinalei em vermelho, queira Mayana ou não, é um argumento absolutamente consistente contra o aborto. E a honestidade intelectual me obriga a considerar que ela demonstra, sim, que se trata de coisas diferentes.

Ai, ai... vamos ver. O Reinaldo fica excitado porque a Mayana disse que existe "uma vida" no útero da mulher e diferencia a situação do "embrião" fora do útero. Bom, Reinaldo, falta uma coisinha. "A vida" existe tanto no embrião dentro do útero como no que está fora do útero. A diferença é que o embrião que está dentro do útero nasceria se ninguém fizesse nada - e se não houvesse um aborto natural. Deus é sabidamente o maior abortista do mundo, causando abortos naturais em aproximadamente 70% das gestações. Bom, aqui Reinaldo achou que encontrou a grande diferença: se não houver intervenção humana o embrião que estava fora do útero morreria de qualquer jeito.

E daí? Não é uma vida humana, igualzinha à vida do embrião dentro do útero? Talvez em sua tortuosa disgressão ele veja algo como uma competição entre o homem e Deus... Se o "homem" não fizer nada, Deus se certificaria que o embrião ia se tornar uma pessoa. Se o "homem" fizer, aí Deus não pode fazer nada. Por outro lado, se o "homem" não implantar o outro embrião, Deus também não pode fazer nada... Reinaldo está mesmo estranho.

Vamos ver outro trecho que ilustra um pouco mais da aberrante visão desse pobre homem:

É o que quer o laicismo militante: transformar a Igreja Católica numa pequena organização de reacionários — que estará sempre “reagindo ao progresso” em vez de se pôr na vanguarda do debate. Pôr-se na vanguarda não significa adotar todos os modernismos, não, mas submetê-los ao primado de sua ética, acusando as suas falhas, quando é o caso, e os seus avanços, idem.

Esta é demais! Ele acha que alguém quer transformar a Igreja Católica em uma pequena organização de reacionários! A Igreja é uma organização de reacionários, ainda que não seja 'pequena', e nenhum laico jamais tentou transformá-la nisso! Foi transformada nisso por puro mérito dos clérigos, papas e carolas, desde o século V. Não venham por a culpa nos laicos! Os laicos tentam fazer com que as opiniões aparvalhadas da Igreja não interfiram no bem estar das populações. É a Igreja Católica que proíbe a camisinha como método contraceptivo mesmo se quem a usa for um casal fiel e casado! Não são os laicos que inventaram tamanha imbecilidade. O Reinaldo tenta tapar o sol com a peneira, mas isso vai acabar tendo consequencias sérias para a sua saúde mental.

Não contente com tudo isso, achando que sua fala é coerente, desfere o que ele acredita ser o golpe final nos ateus - diferenciando os ateus calados dos que expõe sua visão ao mundo. Vejam que lindo:

Finalmente, estúpidos, também, são os militantes do ateísmo — ou que nome tenham os que pretendem que os católicos têm de ficar rezando até escalavrar os joelhos e silenciar diante das coisas do mundo — e correntes bocós da esquerda que pretendem criar um cordão sanitário entre o mundo da ciência e o da religião. São aqueles muito tolerantes e ativos quando se trata de defender, como chamarei?, “orientalismos”, mas que consideram um absurdo que um católico possa falar e ter uma opinião ancorada na sua fé.

Quanto aos "orientalismos" acho que concordo com Reinaldo. Entretanto os ateus jamais quiseram impedir os católicos de terem opiniões religiosas. Eu jamais conheci nenhum ateu que quisesse impedir quem quer que fosse de expressar uma opinião. Mas vejam que interessante, ele põe a culpa de "os católicos ficarem rezando até escalavrar os joelhos" nos militantes do ateísmo! Oras, Reinaldo, a culpa dos católicos fazerem isso é... deles mesmos. Quanto a silenciar, o máximo que um ateu vai fazer é sugerir o silêncio. E o Reinaldo nem vai acreditar qual a razão. É para proteger os religiosos. Nós, ateus, ficamos envergonhados quando alguém professa opiniões imbecis ancoradas, vejam só, em fé. Fé é só outro nome para "ausência de razão". Faço portanto do fundo do coração, um apelo:

Reinaldo, peço que não insista com opiniões ancoradas em fé ou dogmas. É por amor. É para o seu próprio bem. É uma pena que você ainda não tenha entendido. Entretanto ainda tenho esperança que você use a cabeça e acabe entendendo o que quero dizer.

9 comentários:

Gerson B disse...

Eu escrevi no blog do Reinaldo e apontei a contradição de diferenciar o embrião fora e dentro do útero. É mesmo complicado para um católico defender a pesquisa que use embriões.

Nisso eu adoto uma posição contrária à sua. Mas coerente. Contra o aborto e contra os embriões em pesquisa, exceto os inviáveis.

Zappi disse...

Olá Gerson,

A sua posição é coerente. Eu sou a favor dos embriões em pesquisa e a favor do aborto nas 12 primeiras semanas.

Para o Reinaldo ser coerente teria que se opor incondicionalmente às técnicas de fertilização in vitro e no implante de embriões. Também deveria se opor ao aborto após estupro e ao aborto para salvar a vida da mãe... Coincidência! É a posição de Ratzinger!!!

Catellius disse...

Ótimo post, Zappi.

Os embriões utilizados em pesquisas seriam descartados de qualquer maneira. Seria loucura implantá-los em um útero depois de três anos congelados.

Embriões são descartados ou congelados quando um casal parte para a fertilização artificial. Se fosse feita a "vontade de Deus", o mesmo casal jamais teria filhos. Entre NADA e filhos gerados a partir de inseminação artificial, a Igreja fica com a primeira opção. E após o procedimento ser realizado, passa a defender insanamente os embriões que seriam descartados de qualquer maneira, mesmo que as pesquisas contra as quais se posiciona possam salvar a vida de milhões de pessoas no futuro. Quem é a favor da vida?

“Entretanto os ateus jamais quiseram impedir os católicos de terem opiniões religiosas.”
“Quanto a silenciar, o máximo que um ateu vai fazer é sugerir o silêncio.”

Eu acho um grande avanço um sujeito não acreditar em deuses. Não estará sujeito às manipulações dos manipuladores mores – os representantes divinos; os padres cheios de afazeres e interesses mundanos que falam em nome de um ser invisível e voluntarioso, que sabem o que o onipotente quer de seu rebanho supersticioso e atemorizado pela finitude da vida.
Mas não ter deuses não é garantia de conduta irrepreensível. Acho que ateus já devem ter tentado impedir religiosos de terem opiniões religiosas, e acho que já tentaram silenciar religiosos também. Mas não há dúvidas de que o apelo à mordaça é infinitamente mais comum do lado religioso. As idéias religiosas não se baseiam na lógica, não sobrevivem portanto em um ambiente extremamente crítico. Necessitam de uma atmosfera de respeito ao sagrado, do silêncio que posteriormente interpretarão como anuência, necessitam do “religião não se discute”. O que o ateísmo pode temer da lógica e da razão, se é por meio delas que ele sobrevive neste mundo tomado pelos crentes obcecados pela oximórica vida após a morte?

Abração

ielpo disse...

Estás terrível hoje, Zappi!

Excelentes estes "posts"!

Já eu, há muito ando tão enojado desta "cucaracholândia" que me custa muito sair da inércia para escrever alguma coisa...

Abraços!

Anônimo disse...

Perfeito! O desleixo com que os brasileiros trataram (e tratam) a questão populacional é o melhor testemunho do nosso subdesenvolvimento mental. Veja-se o caso do aborto: até Portugal e México flexibilizaram, aqui é a coisa mais difícil do mundo. Quanto a mim, desisti de ler o bunda-suja da foto e os outros menos votados da direita papista de Brasil. A desgraça: esses energúmenos são a única oposição vocal contra os energúmenos de esquerda que se revezam no poder (via PT, PSDB, PCs, mídia e universidades). Não temos aqui uma direita não religiosa importante, menos ainda uma anti-religiosa (nem cabe considerar nesse rol partidos e entidades de negociatas como os ridículos "DEM" e "PMDB"). Conclusão: nem em 500 anos o país se emenda e a vontade é mesmo cair fora antes que a coisa fique ainda mais fedida.

Zappi disse...

Concordo Catellius. Para cada ateu que tentou silenciar um religioso existiram milhares de religiosos que efetivamente silenciaram ateus - ou qualquer um que defendesse uma posição diferente da igreja.

O caso da grande igreja pró-Mao ou da pró-Lenin é um caso aparte. Criancinhas são doutrinadas (vejam a semelhança com a catequese) desde pequeninas para acreditar que estes seres asquerosos são infinitamente bondosos e sábios. Qualquer semelhança não é mera coincidência. Gente crédula é manipulável. Ponto.

Obrigado a todos pela visita!

Zulma disse...

Foi declarado recentemente pela Dra. Natalia López Moratalla, catedrática de Biologia Molecular e Presidente da Associação Espanhola de Bioética e Ética Médica, que «as células-tronco embrionárias fracassaram; a esperança para os enfermos está nas células adultas» e «hoje a pesquisa derivou decididamente para o emprego das células-tronco 'adultas', que são extraídas do próprio organismo e que já estão dando resultados na cura de doentes» (ZENIT.org).

Zappi disse...

Eu pergunto:

E daí?

Zulma disse...

E daí que eu também endosso as palavras da geneticista Paula Costa: “o comentário sobre a utilização de células-tronco embrionárias ao invés de adultas, com objetivos de obter financiamento, é absurdo” (Folha Online 27/04/2008).