2006-05-24

Amanhã vai ser outro dia - 3

Na Australia houve um problema similar ao do PCC. Um grupo de islâmicos fundamentalistas estava incitando fiéis a atacar lugares famosos da Australia.

Imediatamente o primeiro ministro aprovou novas leis no parlamento. A mensagem passada por ele foi: se você quiser vir morar na Austrália, tem que aceitar os valores australianos. Esses 'valores' citados são o razoável: aceitar as leis locais, os direitos básicos.

A Austrália é um país muito mais 'socialista' que o Brasil. Apesar de a organização geral ser obviamente capitalista, há muitos programas sociais para ajudar gente com problemas de saúde por exemplo. Eles chegavam ao cúmulo de dar um rendimento anual a mães solteiras, até o filho completar seus estudos.

O que o governo australiano não tolera é o crime. E como no caso dos terroristas suicidas não há o elemento perpetrador para aplicar uma pena, as leis foram mudadas para poder enquadrar quem incita violência. O terrorista que se explode foi doutrinado por alguém, e as novas leis foram pensadas para poder pegar estes pregadores.

No Brasil, ocorreram os eventos do PCC, que foram muito piores do que os atentados terroristas ao metro londrino. Entretanto, o Presidente sorri, diz que nada tem a ver com isso, a culpa é das elites. Nem seria necessário alterar muito as leis, bastaria retirar absurdas concessões a criminosos.

Bastaria fazer com que leis fossem cumpridas com presteza. Fazer com que criminosos fossem presos de verdade. Hoje ocorrem no Brasil pelo menos 100 casos de extorsão por dia que são realizados a partir de celulares de dentro dos presídios e contam com uma "equipe" organizada de bandidos soltos. Nada é feito, o presidente sorri. Os policiais são executados, e o presidente continua a sorrir.

O presidente não parece interessado em que as leis sejam cumpridas. Afinal de que lado ele está?

5 comentários:

Percy disse...

Zappi, ontem e hoje eu assisti a gravações que fizeram dentro de um presídio de segurança máxima. Aliás o único presídio de segurança máxima aqui do Brasil. Fiquei realmente impressionado.
Os presos ficam algemados à porta da cela enquanto os agentes entram para fazer a revista. Como era segurança máxima, não acharam nada. Mas isso não foi o mais importante. O que realmente me chocou foi o grau de agressividade dos presos. Bom, você vai dizer que lá, num presídio de segurança máxima, não podia ser diferente. E eu concordo. Mas eu esperava que eles estivessem com a moral um pouco mais baixa.
O que fica me martelando é: será que eles são assim porque são bandidos e estão apenas fazendo o que deles se espera ou eles simplesmente estão se sentindo seguros porque sabem que nada pode atingi-los sem antes passar por uma teia de processos e procedimentos que acabam por beneficiá-los?
Sinceramente, fiquei com medo...

Shirlei Horta disse...

São coisas diferentes, Zappi (tô copiando o Percy, não sei como você gosta de ser chamado). O problema de fazer cumprir a lei que já existe é recorrente. Na verdade, é uma piada. A constituição é muito mais avançada, de primeiro mundo, mas nós não. A incitação ao crime constitui-se crime, sim, mas a dificuldade está em provar que "x" ou "y" incitaram; não é nada fácil, é tão difícil quanto obter recibo de propina. Não sei como a Austrália dá conta disso, o que as leis aceitam como prova etc. Temos que lembrar, também, que os crimes de "chacina" pura e simples, o olho por olho, não é uma saída, credo, é um retrocesso obscurantista (eu acho). Problemas complexos, soluções complexas. Meio que eu dou por perdida essa geração. Só com educação para todos, maior distribuição de renda, saúde - portanto, o básico, basicão - esse país vai mudar. Lembrei do sistema de saúde bucal da Holanda: todo mundo é obrigado a ir ao dentista de 6 em 6 meses, custeado pelo governo. Se não comparecer no período de 6 meses, a conta se torna particular. Ora, 6 meses não constróem uma cárie enorme, não afeta raízes, não demandam tratamentos custosos. O governo, na verdade, economiza e ensina ao mesmo tempo.

Zappi disse...

Oi, Shirlei. Pode me chamar de Zappi, é como todo mundo me chama. Creio que há um engano aí no que você disse. A nossa constituição é ridícula e obscurantista. Uma constituição avançada tem que ter uma ou duas páginas. A do Brasil é um livro ridículo, que proporciona diversão aos juristas. As nossas leis são muito complexas e contraditórias, o que faz com que os processos durem muito. Há muitas instâncias, cada vez que alguem apela a uma instância superior os autos tem que ser movidos fisicamente, é tudo ridículo.

Em qualquer país civilizado a justiça é rápida. Só no Brasil assassinos ficam soltos como essa Richthofen ou, muito pior e já esquecido, o caso da Daniela Perez. A mãe dela lutou por anos, sozinha. Descobriu pela maneira mais dura e triste que a lei do Brasil não funciona.

Os problemas não são complexos. Os bandidos querem que achemos isso. Roubou: cana. Matou: mais cana ainda. Nada de chacinas: xilindró mesmo, fechadinho e quietinho, com direito a ser fuzilado se tentar fugir ou fizer algo engraçadinho. O Legislativo está cheio de bandidos, que leis você acha que eles vão aprovar? O Presidente é o rei dos bandidos e repassa verbas para ONGs que ajudam bandidos e para o MST cujo objetivo é o roubo e a 'destruição do sistema'.

Simples, né?

Ah, queria comunicar que graças a você e ao Percy (os únicos que comentam) este blog chegou aos 1200 page views por mês em Maio. Se acham que está bom, divulguem. Para mandar um post para alguém basta clicar no envelopinho. Se não acham que está bom, reclamem. E se quiserem ver outros assuntos, por favor peçam.

Um abraço,
Zappi

Shirlei Horta disse...

Divulgo sempre, leitores hoje são disputados a tapa. Ou a hit. Enfim, gostaria que você comentasse as diferenças Br/Austrália. A gente pensa que sabe, mas não sabe. Quanto à Constituição, reduzi-la a dez itens, como a americana, só aumentaria o número de injustiças nesse nosso país coronelista. Os códigos (o penal é de 1940) precisam urgentemente ser atualizados. Os processos são ridículos, tudo demanda transporte físico, pouquíssima coisa, e só em SP (que eu saiba) é feita pela Internet. Pouquíssimos fóruns aceitam documentos com assinatura eletrônica. Por aí vai. Continue divagando, divagar é preciso.

zappi disse...

Shirlei,

Obrigado! Agora, eu queria dizer que não disputo leitores a tapa ou a hit. Na verdade, pensando bem, que diferença faz para mim se eu tiver 1000 ou 10000 leitores? O que quero é que as pessoas acordem, pô! O Brasil parece mergulhado na imbecilidade eterna, os leitores que eu quero são os que podem perceber que há algo de errado.

Quanto ao número de injustiças, certamente não são devidas ao tamanho da constituição. São devidas à inconsistencia das leis, falha na aplicação destas e nas incontáveis instâncias e possibilidades que favorecem os que tem dinheiro. Se bem levado, um processo pode levar décadas. Ora, isso não faz sentido. Quem fez algo errado tem que ser preso o mais rápido possível. Só assim haverá uma forma de inibir o comportamento criminoso. E os coronéis a que você se refere não podem ser imunes, como são atualmente.

É isso aí