2006-09-10

Três verdades que ninguém diz (1)


Há pessoas de todos os tipos dando opiniões nos jornais. A Folha de São Paulo passa o tempo todo dizendo uma coisa e "desdizendo" em seguida. Se alguém fala bem de Fernando Henrique imediatamente surge outra opinião, às vezes partindo do mesmo articulista, que diz que Fernando Henrique é a origem de todos os males do Brasil.

Eu tenho a minha opinião: Fernando Henrique era o início de uma solução. O PT e Lula são o início da desgraça. Simples assim. Não acreditam? Falamos novamente em dez anos. Os que justificam votar em Lula porque "todos são iguais" caíram no jogo da desinformação que a mídia cada vez mais engajada em um comunismo bananão espalha, de maneira criminosa. Os argumentos são estúpidos e chegam a passar pelos Estados Unidos e a guerra no Iraque como a fonte dos problemas do Brasil. Não é assim: o maior problema do Brasil é a burrice infinita.

A burrice não é um problema exclusivo do Brasil. Longe de mim afirmar isso! Entretanto, os nossos burros são mais burros que os dos outros. Hoje no Brasil a burrice não é combatida, e sim exaltada. A burrice brasileira passou a ser uma faceta da "cultura criativa" do brasileiro. De acordo com esta nova mentalidade não se deveria fazer nada contra a burrice e a ignorância porque estaríamos combatendo a essência da "cultura" brasileira. Não esqueçamos que esta inclui o "jeitinho", a "esperteza", a "malandragem" e todas as características cristalizadas nas diversas "manifestações culturais". Nos países civilizados, a burrice é sistematicamente esmagada. "Injusto!" dirão alguns. "Discriminação!" bradarão outros. Esta nova "metaburrice" é uma fonte inesgotável de desgraças.

A primeira das verdades que ninguém diz se refere à burrice. Não só à burrice brasileira, mas à burrice em geral. Aí vai:
Os burros se reproduzem mais que as pessoas inteligentes
Esta é uma verdade universal. Em média, os burros têm mais filhos do que os que têm algo na cabeça. Além de ser verdade hoje em dia, isso tem sido por milênios, talvez até milhões de anos. Filho de burro, burrinho é. Estes têm menor chance de sobrevivência e, para compensar a maior mortalidade, os pais "fabricam" uma quantidade maior. É um pouco como o bacalhau, que deposita milhões de ovos para garantir que alguns cheguem à idade adulta.

Houve uma recente alteração na taxa de sobrevivência dos burros. Esta se deve aos avanços científicos como a descoberta de antibióticos, invenção de novas drogas, vacinas e tratamentos médicos mais e mais sofisticados. Na agricultura novas técnicas, máquinas, fertilizantes, pesticidas e herbicidas aumentaram a produtividade agrícola a níveis nunca antes alcançados. Não preciso mencionar que os nossos amigos, os burrinhos, não tem nada a ver com estes maravilhosas conquistas da Ciência e Tecnologia. Eles nunca realizam nada.

O usufruto destas tecnologias é universal. Ninguém nunca tentou impedir os burros de usar a tecnologia: alguns simplesmente se recusam. Outros não tem recursos para custeá-las. Outros ainda negam a própria existência dos avanços e se voltam para esoterismos. A homeopatia é só um fenomenal exemplo de burrice em ação.

Os burros continuaram se reproduzindo em taxas altíssimas. Agora que são maioria, culpam os que os ajudaram a sobreviver pelas suas mazelas. Tinham a obrigação de lhes estar eternamente gratos.

Continua...clique aqui.


4 comentários:

Bira disse...

calma zappi...faz parte do "sistema" manter a tudo e a todos alienados de forma a manter o "puder".

pait disse...

O problema de escrever sobre a burrice no Brasil é que o Bob Fields sintetizou tudo em uma frase: "A burrice no Brasil tem um passado glorioso e um futuro promissor."

E o problema de escrver sobre o comunismo no Brasil é que tinha aquela piada dos dois caipiras agachados chupando palha, um deles perguntou, todo assustado:

"E esse tal de comunismo que vem aí, diz que tem parte com o demônio, que eles comem criancinha, o compadre não tem medo?"

E o compadre responde: "Que medo nada! Deixa vir, que nóis avacáia!"

Mais uma vez, o caipira sintetizou tudo em uma frase.

julia disse...

Assunto MUITOOO INTERESANTE!!!Ainda estou impressionada com seu post sobre OS BURROS!!!!Imagine que viver em outro Pais nos força a carregar nas costas O PESO dos BURROS ai no Brasil.A +/-25anos atras,CADA VEZ QUE IA A QUALQUER recepção aqui na França,era obrigada a passar pela mesma "ladainha" das questões por vezes abusivas,por vezes mal educadas,por vezes INDISCRETAS mas sempre a questão mais antipatica "era":ah!le Bresil,tantos pobres, passam fome,miseraveis,sem dinheiro,sem trabalho,sem assistencia social,medica,hospilar etc... SEMPRE CANSANDA DE RESPONDER:sera mesmo?! OLHE LA, pode ser igual aqui, a diferença é que os burros daqui não tem tempo pra refletir... E NO BRASIL OS BURROS DELA, são mais "ESPERTOS" pra bagunçar,dotados da GRANDE "CAPACIDADE" pra "preguiça" com TEMPO DE SOBRA,QUE USAM SOMENTE PRA PROCRIAR etc...Finalmente deixaram de incomodar com as tais "questões"... Aqui neste espaço não entraria tudo sobre os burros...Mas pelo seu post da pra sentir que não sou tão extra terrestre e fico aliviada de saber que existe outro extra terrestre que o dono deste blog.Obrigado

João Bosco disse...

Gostei muito, sensacional.
Mas como grande "orgulho" digo que os nossos burros são mais burros que os outros, nossos burros votam no Lula, até os petistas......e agora o Lula dá o governo para o Delfin Neto, para o Jader Barbalho e até para o Collor.
Fico imaginando quando tiver netos, como vou explicar para eles esta fase do Brasil.