2008-04-30

Como cortar gastos no governo


Excelente exposição de Rodrigo Constantino

Trogloditas

No Iraque pós Saddam Hussein, um pai descobre que a filha de 17 anos gosta de um soldado britânico. Então se põe a esfaqueá-la, na frente da mãe que, desesperada, chama os outros dois filhos. Entretanto, quando souberam a razão pela qual o pai estava fazendo aquilo, os irmãos ajudaram o pai a por fim à vida da moça.

A polícia iraquiana deteve o pai assassino por duas horas. Após ouvir as razões do monstro, a polícia o liberou sem acusações.

"Nada pode ser feito com um caso de crime de honra. Você vive em uma sociedade muçulmana e as mulheres devem viver sob leis religiosas."

Religiãozinha simpática, a islâmica.

2008-04-23

Agitata da due venti

Esta é uma ária de uma ópera de Vivaldi, Griselda, cantada por Emma Kirkby. Divirtam-se!


Tirania mental

A famosa pop singer "Madonna" quer proibir o deboche. Ela disse que o ator Tom Cruise deve poder praticar a sua religião, a "cientologia" sem ser ridicularizado.

Ela também disse:
"Eu não me importo se as pessoas veneram tartarugas ou sapos! O que me importa é que elas sejam boas pessoas!"

Bom, eu também não me importo se as pessoas veneram tartarugas ou sapos. Eu me importo se são boas pessoas, mas também me importo em saber se são estúpidas. Quem venera sapos tem um problema mental sério e, mesmo querendo ser uma boa pessoa, talvez não saiba como fazê-lo. Por isso pode terminar fazendo o mal.

Um exemplo? Um islâmico radical acha sinceramente que está fazendo uma boa ação quando se explode. Eu talvez até concordaria, a não ser pelo fato de que ele leva inocentes junto. E é essencial que ele leve para que a ação seja considerada boa! Não é para debochar?

A Madonna segue a religião da "kaballah", uma derivação mística do judaísmo. Ora, o judaísmo já é ridículo, a "kaballah" deve ser mais ainda. Será que ela tem medo de ser ridicularizada?

Já Tom Cruise, o palerma que defende a "cientologia" com unhas e dentes, segue os preceitos do fundador da seita, o escritor L. Ron Hubbard. É dele a idéia de que seres extraterrestres foram enviados para a Terra pelo regente intergalático "Xenu", que depois explodiu os aliens com bombas de hidrogênio em um vulcão. Nossa, que bacana! Será que o Tom Cruise deve ser ridicularizado ou considerado uma "boa pessoa"? Espalhar imbecilidade é uma boa ação?

O que acho mais interessante é que o sucesso da Madonna começou com a música "Like a Virgin". A associação - religiosa, claro - de "Madonna" e "Virgem" deve ter contribuído. Há quem ache que ela estava debochando dos católicos. Aquele crucifixo enorme que ela usava o tempo todo pode ter ajudado a confirmar as suspeitas. Agora tudo é diferente: sabemos que ela seria incapaz de fazer uma coisa dessas. Que bom, né?

2008-04-18

A verdadeira natureza dos "verdes"

De todos os ataques já desferidos pelo ser humano ao seu habitat, talvez o mais destrutivo de todos seja o causado pela mentalidade verde. Os naturebas, apesar de acharem que protegem a natureza, são hoje uma força violenta e eficiente que contribui não para preservá-la, mas para destruí-la.

Para quem só chegou hoje ao meu blog, eu explico: sou completamente a favor da natureza. Vivo em um país onde há imensas áreas intocadas, provavelmente porque inóspitas, e acho que manter uma porcentagem de áreas preservadas é importantíssimo. Só porque existimos e temos tecnologia para isso não creio que tenhamos o direito de destruir formas de vida que chegaram através dos bilhões de anos de evolução junto conosco aos dias de hoje. A vida no mundo é o registro mais completo que existe do fenômeno da evolução e destruí-la mesmo em parte corresponde a destruir informação que ainda não entendemos e que ainda levaremos séculos para compreender. E isso é um crime contra nós mesmos, um monumental tiro no pé da humanidade.


A verdadeira revolução verde

Não, meus caros. Os naturebas não foram os criadores da revolução "verde". Quem a começou foram os químicos.

O termo "revolução verde" se refere ao imenso aumento na produtividade agrícola decorrente de técnicas modernas de plantio, reposição de nutrientes através de fertilizantes e experimentos genéticos em vegetais. O termo aparentemente foi usado pela primeira vez em 1968 por William Gaud, então diretor da agência USAID de auxílio aos países pobres. Ele disse:

"Estas e outras inovações na área de agricultura contêm o início de uma nova revolução. Não é uma violenta Revolução Vermelha como a dos soviéticos, nem e uma Revolução Branca como a do Xa do Irã. Eu a chamo de Revolução Verde."(1)

Produtos que podiam ser utilizados como fertilizantes eram conhecidos no século 19, mas foi no início do século 20 que dois químicos alemães, Carl Bosch e Fritz Haber, desenvolveram um método para a produção barata de amoníaco a partir de ar e gás natural (metano). Este processo, apelidado Haber-Bosch, constitui a base dos fertilizantes nitrogenados de hoje em dia, assim como a base de boa parte da indústria química.

A verdade é que se a Revolução Verde não tivesse ocorrido, a população atual de 6 bilhões de habitantes não seria nem remotamente possível. Uma grande proporção teria morrido de fome. A produção de alimentos por habitante aumentou significativamente desde 1960 até agora, apesar do explosivo aumento do número de habitantes do mundo, que duplicou desde então. Aumentou também apesar de que cada vez menos pessoas são empregadas no automatizado setor rural.

A Revolução Verde pode ser alardeada como uma das mais importantes conquistas da ciência e tecnologia modernas. Entretanto há limites para tudo. Apesar de que ainda se inova muitíssimo na área com engenharia genética, há limites de eficiência de captação de energia solar que não podem hoje ser superados. A água utilizada para irrigar está escasseando e a destruição de mais habitats naturais é necessária para poder ampliar a área de cultivo. Se não considerarmos a preservação de habitats selvagens, é possível que novas tecnologias permitam alimentar uma população de várias dezenas de bilhões. Pergunto-me entretanto: para quê? Como em tudo, quantidade não é qualidade. Qual o objetivo de encher cada canto deste planetinha com pessoas e mais pessoas? Quem tem o quê a ganhar com isso? Que qualidade de vida se pode esperar em um mundo de pessoas amontoadas e naturalmente miseráveis?


Eco-loucos são genocidas


Examinemos agora a posição dos "verdes" a respeito. Para começar os verdes são a favor dos legumes "orgânicos". Já expliquei aqui que este conceito é absurdo: sem o uso de defensivos e fertilizantes químicos o rendimento e a qualidade dos produtos diminui. Isso significa que é necessária uma área muito maior para produzir a mesma quantidade de alimentos. Os naturebas portanto estão, com esses conceitos primitivos, forçando uma destruição maior no meio ambiente do que se se usasse a agricultura moderna.

Outra característica muito problemática da agricultura sem fertilizantes químicos é que ela precisa usar fertilizantes biológicos, ou seja, excremento animal e humano. Fertilizando extensões imensas com excremento, esses paladinos da ecologia geram mau cheiro, espalham parasitas e ajudam na transmissão de doenças perigosas. Poluição com bosta.

Entretanto, o mais incrível é que essa obsessão irracional com verduras "orgânicas" aumenta o preço dos alimentos. Como? Com a diminuição da eficiência de produção, a necessidade de mais mão-de-obra, e com o péssimo rendimento da adubação com excrementos. Além disso menos área é disponível para a agricultura tecnológica, reduzindo a produção geral e aumentando os preços por falta de oferta. Em um mundo de 6 bilhões de habitantes não nos deveríamos dar ao luxo de tomar ações que aumentem o preço dos alimentos. Milhões morrerão de fome na África a cada aumento de 10% no preço geral dos grãos.

Em outras palavras, a agricultura "orgânica" tem um outro nome: assassinato em massa. Genocídio. Lembre-se quando for comprar seu tomatinho.

Entretanto os eco-loucos não param aí. Eles pegaram carona com entusiasmo no vagão do movimento "anti-aquecimento global". Atacam e criam políticas públicas inviabilizando cada vez mais toda e qualquer geração de energia com combustíveis fósseis. Quais são então as alternativas que temos?

Para o transporte, a alternativa chamada "sustentável" é uma combinação de álcool de cana e bio-diesel. Lindos nomes, se não escondessem por trás deles ainda mais morte e destruição. Explico: tanto o álcool como o bio-diesel precisam de extensões ainda mais gigantescas do que a geração de alimentos. O motivo é que um carro consome em uma semana muito mais energia do que uma família inteira. Essa energia provém do sol, só que é convertida a uma eficiência menor que 0,2% (duas partes por mil), necessitando extensões de terra medonhas. Quem conhece o interior de São Paulo, já coberto pela cana-de-açucar, sabe o que quero dizer. Cobrir o mundo com cana ou plantações destinadas a fabricar bio-diesel esgota os recursos necessários para alimentar os 6 bilhões de habitantes que logo serão 8 bilhões. É um gigantesco desperdício de recursos preciosos para gerar produto destinado à queima. O preço dos alimentos - e dos combustíveis - sofrerá novo aumento, e com ele, mais milhões passarão fome. A alternativa, que é usar combustíveis fósseis de forma mais eficiente, nem é considerada pelos eco-fanáticos.

Outras fontes de energia, inclusive usadas para fabricar os essenciais fertilizantes da Revolução Verde, são o petróleo e o gás natural. Não é preciso dizer que o movimento dos fanáticos prefere a geração de energia por turbinas de vento ou solar, formas muitíssimo mais caras. Se a matriz energética migrar para essas fontes alternativas, o custo básico do kilowatt-hora subirá, aumentando o custo dos fertilizantes e... incidindo no preço dos alimentos. Isso significa somente mais mortes nos países pobres da África e da Ásia.

O imobilismo a que os "verdes" tentam nos condenar teria como efeito a devastação de populações miseráveis. A religião verde, o nazismo ecológico, é tão doentia como as religiões convencionais, aquelas que gritam "multiplicai-vos!" sem medir as consequências. Carecem de visão e inteligência tanto uma como as outras. É hora de colocar no devido lugar os que sempre se acham certos e bons, como os socialistas ou os nazistas em sua época ou ainda os católicos. Todos são unânimes em acreditar-se infinitamente bons e ao mesmo tempo condenar de maneira horrenda tudo o que se desviar de seus dogmas fixos.

A bandeira que abre este artigo existe de verdade. É de uma tentativa de partido político inspirado ao mesmo tempo no nazismo e no movimento verde. Veja aqui. Os eco-fascistas existem de verdade. Aqui e agora.

2008-04-17

Abuso infantil

Vejo aqui que o Papa vai se encontrar com os que foram sexualmente abusados por padres. Eu só recomendo que esses que vão se encontrar com o Papa vão acompanhados de testemunhas... just in case.

O abuso que as religiões cometem não é somente sexual. É um abuso mental, incutindo as crenças mais idiotas naqueles que ainda não tem como se defender. Ensinam que credulice é virtude. Se ensinassem a pensar estariam vacinando essas crianças contra futuros erros e desvios. Do jeito que é transformam-nas em terreno fértil para as superstições mais cretinas.

A mentira

A mentira tem perna curta, barba branca, lingua presa e um dedo a menos.


Obrigado Neury!

2008-04-16

A gente atura tudo que é besteira, mas "eles" ficam ofendidos



Fico feliz em saber que o Dráuzio Varella também percebeu o que tanto incomoda a todos os ateus. E isso que ele nem chegou a falar nos oligofrênicos que acham que quem se explode por Alah vai se encontrar com 12 virgens no paraíso. Tem que aturar esses psicopatas também?

2008-04-15

Como roubar 4 bilhões dos pobres


por Augusto Nunes:

Fardado de guerreiro pronto para o combate, um revólver na mão e o chapéu tricorne na cabeça, o tenente-coronel Antonio Tejero Molina, escoltado por 200 integrantes da Guarda Civil, invadiu o Parlamento espanhol em 23 de fevereiro de 1981.

Apontou a arma para a cabeça do presidente da instituição e ordenou que os deputados se agachassem. "Todo el mundo ao suelo!", berrou.

Só três ignoraram o grito do golpista. Só três preferiram a morte provável à capitulação desonrosa.

Um deles foi Santiago Carrillo, secretário-geral do Partido Comunista.

Por que decidira continuar sentado? "Estou velho demais para virar covarde", explicou. E se Tejero Molina cumprisse a ameaça de atirar nos insubordinados? "É preciso saber morrer", ensinou Santiago Carrillo. Aos 66 anos, ele acabara de mostrar que já aprendera a envelhecer com dignidade.

Também saberia morrer. Entre o dia do golpe e a hora da partida, penitenciou-se por erros do passado, ajudou a reunificar a nação estilhaçada pela guerra civil, esforçou-se para ressuscitar a democracia. Conheceu a prisão, o exílio, a clandestinidade e a derrota.

Nunca pensou em ser indenizado pelo governo.

Não existe na Espanha nada parecido com o Programa Bolsa Ditadura.

Como em todos os países que prezam a decência, a ética, a justiça e a vergonha na cara, também ali são concedidas indenizações a cidadãos prejudicados pelo Estado que os mantinha sob custódia. O rei Juan Carlos teria de vender até o trono se, em vez de incontáveis ex-combatentes que acham vergonhoso pedir dinheiro pelo que fizeram, a Espanha abrigasse milhares de guerreiros de araque, que só se mobilizam para a batalha contra os cofres públicos.

Caso fosse brasileiro, bastaria a Santiago Carrillo identificar-se no guichê do organismo no qual sobra dinheiro da Viúva e falta sensatez.
Voltaria para casa com a mais vistosa das medalhas concedidas a um Herói da Resistência e uma bolsa-ditadura maior que a soma abocanhada por toda a turma de jornalistas que fez bonito na festa de formatura.

O ministro Tarso Genro, atual patrocinador da gastança, fez questão de ouvir ao vivo o discurso incendiário do orador Ziraldo Alves Pinto.

Entre indenizações corretíssimas, doações inexplicáveis e mensalidades fixadas por regras misteriosas, a União desembolsou, dos anos 90 para cá, pelo menos R$ 2,4 bilhões. O bloco dos ministros perdulários é liderado por Márcio Thomaz Bastos (R$ 1,9 bilhão ao longo da gestão).

Tarso Genro luta bravamente pela liderança. Só nos três primeiros meses deste ano foram torrados R$ 122,3 milhões. Dos mais de 60 mil casos apreciados pela comissão desde 2001, foram analisados 37.200. Faltam 23.100. Tarso tem boas chances de chegar lá.

No final do governo Lula, calcula-se que o Brasil terá distribuído entre os beneficiários pelo Programa Bolsa Ditadura cerca de R$ 4 bilhões.

É uma quantia apreciável: para indenizar as vítimas do Holocausto promovido pelos nazistas, a Alemanha entregou R$ 5 bilhões.

Na lista dos premiados não figura nenhum participante da guerrilha do Araguaia. Em contrapartida, inclui dois adultos indenizados por sofrimentos que os alcançaram no ventre da mãe. Só no Brasil a ditadura foi combatida até por fetos.

Era revolução ou investimento?, perguntou Millôr Fernandes.

É isso.

2008-04-12

Hitchens destrói argumento fascista-stalinista


Gostei especialmente desta argumentação de Christopher Hitchens onde ele destrói o argumento favorito dos cristãos para demonizar os que não crêem em deuses: o argumento de que quem não teme a deus mata sem piedade. Eles usam o nazismo, o stalinismo e a China de Mao como exemplos. Hitchens mostra com argumentos simples que estes crimes decorrem do seqüestro da credulidade de uma massa ignorante e não da subversão da mente de uma população esclarecida. É excelente, são 9 minutos e eu coloquei as legendas. Divirtam-se!
Hitchens é o autor do best-seller "Deus não é grande". Para comprar clique na capa do livro abaixo. Aqui ele também recomenda o livro de William James, "As variedades da experiência religiosa", cuja versão em português aparentemente está esgotada.

  

2008-04-10

Repeteco

Ah, como esses países se repetem. A Bolívia roubou a refinaria da Petrobrás, a Venezuela estatizou as fábricas de cimento e agora a Venezuela roubou a siderúrgica argentina SIDOR. Aposto uma coisa: não vai ser a última vez que isso acontece. Anotem aí. Aposto mais uma: a rabo-preso "mala de dinheiro" Cristina Kirchner não vai fazer nada. Como o Maloqueiro-mór "grana na caixa de Whisky" tampouco fez.

É tudo muito simples mas ninguém parece entender nada. Eu tenho paciência, vou continuar explicando os porquês. Mesmo que ninguém entenda. E mesmo que seja um pouco repetido, como disse aqui e aqui.

Mais próximo de Cuba

Agora o gringo, o ministro Unger, quer o serviço "social" obrigatório. Como ele ainda está pensando em longo prazo, apesar de ser hoje "estratégico", ele aponta para o objetivo final do Brasil: Cuba. Este inacreditável demente parece ter estudado com Fidel e Hitler. Os países civilizados tem hoje serviço militar voluntário. O serviço obrigatório é só para deixar o povo ainda mais dependente do Estado do que já é. Veja aqui.

Um país dividido

Do Cláudio Humberto: "Entre os presos na Operação Pasárgada da Polícia Federal está o prefeito de Juiz de Fora (MG), Carlos Alberto Bejani (PTB), que foi coordenador de campanha de Lula na Zona da Mata, em Minas Gerais. Até agora, os 500 policiais federais envolvidos na operação prenderam 13 prefeitos, um juiz federal, quatro procuradores municipais, quatro funcionários do judiciário, nove advogados, um lobista e um gerente da Caixa Econômica Federal. Todos foram presos por suspeita de participarem em um esquema de liberação irregular de verbas do Fundo de Participação dos Municípios, cuja estimativa de prejuízo está na casa dos R$ 200 milhões".


Não, não é um país dividido entre elite e ralé, como gostaria o Maloqueiro-mór. É um país dividido entre idiotas e ladrões. Os idiotas são roubados e não fazem nada enquanto os ladrões roubam e fazem a festa. Todos esses serão soltos, alguém duvida?

Angela em "Quanto amore!"


L'elisir d'amore de Donizetti é talvez minha ópera favorita. Aqui está uma cena com Angela Gheorghiu, onde o vendedor inescrupuloso tenta convencê-la a tomar o famoso elixir para conquistar Nemorino. Enjoy!

2008-04-08

Rapadura - uma questão de soberania

Uma empresa alemã patenteou a rapadura. Até aí, tudo bem. Milhares de patentes inválidas são registradas todos os dias. Entretanto, algum nordestino ouviu falar disso e ficou aperreado. Vejam o que dizem os gênios cearenses:

“Assim sendo, ante a grave situação que arranha nossa soberania e os preceitos do direito, entendemos que a Ordem dos Advogados, no exercício de seu mister, deve atuar de forma mais contundente para elidir a conduta a empresa alemã”

Bom, a rapadura nem é uma invenção brasileira. Os idiotas deveriam se preocupar em buscar algo que "arranha nossa soberania" no número de crimes que no nordeste do Brasil batem todos os recordes. Ou talvez no descarado roubo de dinheiro público praticado todos os dias pelos coronéis de Brasília. É bom desviar destes importantes assuntos inventando um "inimigo" estrangeiro, não é mesmo?

Não vou dizer que a Alemanha criou cem mil vezes mais do que o Brasil na forma de invenções, produtos químicos, idéias, prêmios Nobel, cientistas, máquinas de precisão, equipamentos agrícolas... Não vou dizer que é um país democrático e que a sua justiça funciona. Não vale a pena.

Um país que não inventa nada é assim: pobre de idéias mas ofende-se com o que não lhe diz respeito. Tem mesmo é que lutar... pela rapadura.


Sobre esse assunto, o "fetiche do produto" dos brasileiros, fala magistralmente Roberto Campos. "A rapadura é nossa"! Não percam o vídeo abaixo.



2008-04-06

Justiça vagabunda

Fiquei atônito com a notícia publicada na Folha on-line. A justiça do atrasado estado do Mato Grosso do Sul, situado no país retardado chamdo Brasil, mandou interrogar 10 mil mulheres por suspeitar que elas abortaram. Se a justiça brasileira tivesse a mais mínima vergonha na cara não perderia tempo com tão ridícula tarefa e ficaria mais preocupada em prender os causadores do gigantesco genocídio real que são os 50 mil assassinatos que ocorrem no Brasil a cada ano. Este ano passaremos a marca de um milhão de pessoas assassinadas desde 1980 e a justiça, aparentando falta do que fazer, continua preocupadíssima com mulheres que abortaram.

O mapa acima mostra quantos milhares de assassinos a justiça brasileira deveria prender. O Brasil está na categoria mais violenta do mundo, com mais de 20 assassinatos a cada 100 mil habitantes. Clique aqui para ampliar.

Não é por coincidência que o Brasil é campeão em assassinatos, campeão em corrupção, campeão em vandalismos. A justiça parece sempre olhar para as pessoas que não fazem mal a ninguém. Parecem contar com a bênção do Papa, esse velho nojento que só se preocupa com o que acontece dentro do útero das mulheres. Padres fetichistas asquerosos, quando não são pedófilos também.

2008-04-04

Gastos secretos

Que país chato e cansativo é o Brasil. O Lula gastou dez ou vinte vezes mais do que o Fernando Henrique. Até vagabundos sindicalistas usaram o cartão corporativo que tira dinheiro do bolso de todos os Brasileiros. Aí vem essa ministra grotesca que roubava armamentos do exército dizer que o problema é o "vazamento de informação" que tem mais de 10 anos...

O problema é um só. Os ladrões estão no Planalto roubando dinheiro, hoje mesmo, debaixo do nariz de todos os brasileiros trouxas, dia sim, dia também. O currículo da Dilma, a grotesca puxa-saco do Maloqueiro-mór diz tudo.

Investidores, assustem-se

Hugo "cala a boca" Chavez anunciou a estatização das fabricas de cimento na Venezuela. Eu me pergunto se esta atitude é ou não um sinal suficientemente forte para que os que investem na Venezuela comecem a se assustar. A Petrobrás está investindo bilhões lá, mesmo depois de Evito Morales ter passado a mão nas refinarias brasileiras na Bolívia.

Se alguém acha que pode contar com o magnífico governo brasileiro, cujo ministro das relações exteriores defende guerrilhas narcotraficantes e cujo presidente passa a mão na cabeça de um boliviano que acaba de embolsar bilhões de patrimônio brasileiro, pode pensar novamente.

Acredito que ninguém que pensa hoje tem confiança em investir em um país cujo presidente que quer destruir o mercado e o capitalismo. E não é opinião minha não, "Cala a Boca" Chavez não faz outra coisa do que alardear e explicar em detalhes o "novo socialismo bolivariano" que já custou aos venezuelanos desabastecimento crônico e destruição da democracia.

Um pouco de inteligência ajuda a ganhar dinheiro. E ajuda também a evitar prejuízos.

Interpretando os textos sagrados

Muitos dizem que o Islamismo é uma religião pacífica. A maior parte de seus seguidores são efetivamente amantes da paz. Entretanto há um pequeno probleminha. No seu mais elevado texto sagrado, o Corão, há uma incitação à violência após a outra. Um islâmico que mata um "infiel", o nome que eles dão aos não-islâmicos, só estaria seguindo a vontade de Allah.

O vídeo abaixo, feito por um político holandês, Geert Wilders, farto com a hipocrisia da sociedade políticamente correta que nunca chama as coisas pelo nome, está causando grande alarde. A Indonésia, país cuja população é predominantemente islâmica, ameaçou bloquear o youtube caso o vídeo não seja retirado.

Vejam o vídeo, antes que tirem do ar. É excelente. É a primeira vez que vejo a verdade nua e crua falada em árabe que os ocidentais recusam acreditar. Legendas em inglês.



2008-04-03

Dilma, a inocente

Sobre essa respeitável senhôra aí da foto Lula disse:

"Não posso ter um milésimo de suspeita contra a ministra, porque a conheço, sei da história dela e do serviço que ela presta ao país"
Maloqueiro-mór


Não é o que diz Rodrigo Constantino em seu excelente blog:

"Ora, é justamente por conhecer a história da ministra que todos devem suspeitar – e muito – dela. Nos tempos da ditadura militar, a "companheira Estella" foi uma das que planejou o roubo do cofre de Adhemar de Barros, ex-governador de São Paulo. O crime foi praticado pela VAR-Palmares, grupo revolucionário fruto da fusão entre a Vanguarda Popular Revolucionária, de Carlos Lamarca, com o Colina, grupo que tinha "Estella" como líder. Em 1969, treze guerrilheiros da VAR-Palmares roubaram o cofre de uma casa no bairro carioca Santa Tereza, onde viva a amante de Adhemar. Os assaltantes teriam levado US$ 2,6 milhões na operação. Dilma, a então "companheira Estella", teria organizado pelo menos três ações de roubo de armamentos em unidades do Exército no Rio de Janeiro, somente em 1969. Ela jamais pediu desculpas por seus atos. Com um currículo desses, é ou não para suspeitar da ministra?"

Leia mais aqui.

Como já disse o próprio Maloqueiro-mór: "Mexer com bandido não dá certo". Para se justificar ele também poderia dizer "Eu não sabia que Dilma era ladra".

2008-04-02

Tango em Berlin

Mais um presente musical, com a participação do meu primo, Guillermo Destaillats.

2008-04-01

Cubanos compram panela de pressão

Não é piada não. Antes fosse. Com a "quase morte" de Fidel Castro, o ex-maior maloqueiro da América Latina, os cubanos puderam finalmente comprar uma panela de pressão. Não que todos vão conseguir. A renda média no paraíso socialista de Che Guevara é de 17 dólares por mês, uns 30 e poucos reais. Nesse deprimente país comprar uma panela de pressão requer que se trabalhe por um mês - e não se gaste nada nesse período.

Outro sinal da "abertura" cubana é que ontem os cubanos foram liberados para entrar nos resorts onde turistas europeus de classe média - bilionários para os padrões cubanos - passam as férias.

Fidel não queria muito contato não. A razão? Uma prostituta passaria a ganhar muito mais que um médico ou engenheiro, mesmo se fizesse só um "programa" por mês, por míseros 100 dólares. Em uma ou duas horas ela poderia ganhar quase um ano do salário de um cubano médio.

Pouca gente sabe, mas antes da revolução Cuba era um país bastante mais rico que o Brasil. Hoje é infinitamente mais pobre.

Cuba deu uma gigantesca volta, via revolução e paredão, para ir de prostíbulo dos americanos para prostíbulo dos europeus. Não creio que tenha valido a pena. Se os tarados que governam a ilhota forem espertos, abrirão a economia e devolverão as propriedades que roubaram dos cubanos que vivem em Miami, e cujo valor foi dizimado pelas peripécias de Fidel. Talvez os capitalistas de Miami finalmente sejam capazes de fazer com que Cuba progrida, depois de 50 anos indo para trás em alta velocidade.