2008-02-20

O dia em que choveu lixo... e a volta do idiota latino

Fidel é o primeiro ditador do mundo que renunciou após ter morrido. Na verdade, a morte cerebral de Fidel ocorreu há muito tempo, quando lançou a sua "revolução". Cuba costumava ser conhecida como o prostíbulo dos Estados Unidos. Agora, após o tratamento que Fidel dispensou à ilha, Cuba tornou-se o prostíbulo do... Mexico. Os mexicanos fazem a farra lá. Os americanos até que gostariam de continuar usando os serviços sexuais abundantes e baratos da ilha, mas o seu governo impede. Há que se ter paciência para ler os jornais brasileiros e latino-americanos elogiando as magníficas condições de saúde pública e mortalidade infantil da ilha da miséria, cujos habitantes querem sempre fugir, nem que seja a nado. Tem até artigos elogiando, imaginem, a "visão" do grande líder... por ter renunciado! Quanto despojamento! Quanta nobreza!

O lixo a que me refiro no título deste post é outro, apesar de ter relação com este. Quero contar o que me aconteceu quando eu estava andando pela calle Corrientes, em Buenos Aires. Só quem conhece a cidade sabe a quantidade de imbecilidades que o populismo porteño tem criado nos últimos anos. Uma das legítimas criações argentinas são os "piqueteros", grupos de vagabundos que fecham ruas e cobram pedágio para passar. O governo os reconheceu como "movimentos sociais" e lhes paga uma espécie de salário. Não faz nem falta explicar que após tal ato de generosidade do governo argentino o número de piqueteiros só aumentou.

Ultimamente os piqueteros estão meio fora de moda. Agora o "quente" é ser "cartonero". Este novo grupo de pressão política consiste em miseráveis que remexem o lixo da cidade em busca de pedaços de cartolina. O governo argentino, entusiasmado, decidiu recompensar também estes heróis com um salário mensal. Hoje acodem de diversos países latino-americanos milhares destes arrojados empreendedores que carregam cartolina em carrinhos de mão ou burro. Os "cartoneros" carregam crianças pequenas no colo, varam a noite rasgando sacos de lixo e catando cartolina. Também separam sprays de desodorante semi-usados para vender no mercado negro... mais uma invenção do establishment empreendedor à beira do "Rio de la Plata".

O pequeno problema que me aconteceu foi no momento que os lixeiros - os legítimos da prefeitura - recolhiam os sacos de lixo à noite. Os sacos rasgados eram jogados no caminhão e o vento levantava detritos que choviam abundantemente nos pedestres e nos carros.

Uma chuva de lixo real, triste metáfora que simboliza o que acontece ainda hoje na mente destruída do idiota latino.

4 comentários:

Fabio Cordeiro disse...

Zappi, eu vivo na Argentina, Mar del Plata pra ser mais preciso, e sei bem do que vc tá falando. Mas, se me permite, queria só fazer uma ressalva: os cartoneros,em si, nao tem culpa de ser o que sao, sem o mínimo de estudos ou, melhor ainda, sem o mínimo de nada, é o que sobra mesmo pra essa gente (no Brasil, me lembro bem, o quente sao as latinhas). O problema está em que minha querida presidenta pinguina faz, que é perpetuar a miséria dando subsídios pra essa gente quando, acho eu, deveria era fazer com que os filhos fossem pra escola, dessem assistência médica, ajudassem os cartoneros a aprender alguma profissao que estivesse em falta, os ajudasse a inserir no mercado de trabalho. Daí, poderiam caminhar sozinhos. Mas, vaya saber para que querem perpetuar a miséria, né? Seguramente, nao é para que possam sempre dizer que justamente existem pra acabar com isso tudo que está aí...

Uma informaçao adicional: o prefeito de Buenos Aires recém empossado, é o Macri, antigo presidente do Boca. Ele é claramente de direita, o que prova que, pelo menos os portenhos (os que sao de Buenos Aires) já nao suportam mais os populistas. Há um pouco de esperança no ar, acredite.

Abraços.

pait disse...

E deixe eu fazer uma pergunta sobre os piqueteiros: quando eles entram em greve, isso é, param de cobrar pedágio, o governo desconta do tal "salário",ou continua pagando em nome do direito de greve?

Zappi disse...

Pait,

Que interessante consideração... nunca tinha me ocorrido.

Um abraço!

pait disse...

Já que você achou interessante, o episódio vai aparecer num livro que a Acadêmica Bertoleza e o Gigante Burocrator estão escrevendo a quatro mãos.......