2007-10-04

Nova Zelândia - um comentário

No meu post sobre a Nova Zelândia (aqui) recebi hoje um comentário da Patricia, que mora em Auckland. Eu concordo totalmente com você, Patricia. Muitas vezes noto que alguns leitores se ofendem com as minhas colocações, mas é porque não sabem como é a vida em um lugar civilizado. O Brasil de hoje é um país mentalmente insalubre. Vejam o comentário:

Desde 2003 eu moro na Ilha do Norte, em Auckland, onde vive praticamente a metade da populacao da Nova Zelandia. Queria deixar meu comentario aqui e explicitar meu amor por esse pais, que tao bem me acolheu. Alguem ja disse "small is beautiful", portanto num pais nao muito grande, onde ha uma populacao menor , fica mais facil prover boa educacao, bons hospitais, banheiros publicos limpissimos onde quer que voce va, praias e parques com infra-estrutura para pic-nic, esportes e lazer, temos uma qualidade de vida invejavel. Ha muita seguranca, policiais nem sequer andam armados e o unico documento necessario eh a carteira de motorista.
So lamento pelo meu povo brasileiro, que vive numa ditadura sem perceber, se conforma com migalhas e ainda aguenta um governo corrupto, que nao supre as necessidades de sua populacao, um verdadeiro sangue-suga. Aqui trabalhamos, pagamos impostos, mas somos colocados num pedestal, enquanto no Brasil tudo, tudo mesmo e tao dificil. Pra voce ter uma ideia apos cinco anos aqui em New Zealand estou pedindo cidadania e vou me orgulhar muito quando puder apresentar meu passaporte "kiwi" , serei recebida onde quer que for sem desconfiancas, e deixar pra tras o passaporte brasileiro e a vergonha que sentia cada vez que era interrogada nos aeroportos!!
Patricia

6 comentários:

Geraldo Guarulhos, SP disse...

Concordo com a colocação da Patricia que "SMALL IS BEAUTFUL", mas algumas vezes "BIG IS BEAUTFUL TOO"".
Quem conhece pelo menos um pouco do Canadá sabe bem disso.
O que nos falta no Brasil, em grande escala, é vergonha na cara e capacidade de indignação. Falta nos tambem a vontade ferrea de "MAKE IT HAPPEN", que deve sobrar provavelmente na Nova Zelandia.

Peregrino disse...

Tenho um amigo que uma vez disse que a saída do Brasil não é por avião, coisa nenhuma. A saída do Brasil é via aérea, mas com um "cipó", porque isso aqui é uma selva. Pelo visto, a Patrícia, o Zappi e outros arranjaram bons cipós. Será que ainda os há por aí? Alguém me arranja um?

geise disse...

Quem dera todos nós tivessemos a oportunidade de sair do Brasil. Porém, a maioria não tem, então temos que juntar nossas forças de formiguinhas e tentar fazer um país melhor.
Não acredito que seja nessa nossa geração, começo a pensar em um país melhor na educação que dou aos meus filhos, também não creio que seja na deles.
Se todos nós sairmos, o que acontecerá com esse país?

Bira disse...

Imagine a NZ com uma expansão desenfreada de pobres e miseráveis.
Não haveria terra, água e emprego, ou seja, o caminho para ditadores ou guerra civil.

Anônimo disse...

O Brasil só será viável se houver federalismo verdadeiro, com autonomias fortes e livres da centralização política absurda e caríssima de Brasília. Carregar a União imperial nas costas é um fardo terrível, ainda mais quando nos sujeitamos ao mais impiedoso terrorismo tributário!

Catita disse...

Os problemas para serem resolvidos dependem de partidos políticos com credibilidade e é o que não temos. Nenhum partido político no Brasil apresenta as condições mínimas de credibilidade. Todos guiados por enganadores analfabetos e espertalhões. Não nascerá tão cedo um partido político que apresente seu dono como alguém sério. 171 é a regra geral. Patrícia, fique onde está e esqueça esse o povo brasileiro. Jogue fora o cipó citado por um comentarista sensato para que você não se sinta tentada a voltar. No mais, só não se vai quem não pode mesmo.